Mozart Vianna, o “Pai” do Regimento Interno da Câmara, morre em Brasília

Mozart Vianna de Paiva, um dos maiores conhecedores do funcionamento da Câmara dos Deputados e um dos pais do Regimento Interno da Casa, faleceu nesta segunda-feira (7) em Brasília. A causa da morte não foi revelada.

O mineiro, que entrou como datilógrafo na Câmara em 1975, também coordenou a equipe de 150 funcionários que atuou na produção do Regimento Interno da Casa, ainda durante o processo da Constituinte. Mozart ocupou o cargo de Secretário-Geral da Mesa por 22 anos, entre 1991 e 2011, e entre os anos de 2013 e 2015, atendendo a 12 diferentes presidentes da Casa.

Mozart era figurinha carimbada entre jornalistas com dúvidas a respeito do funcionamento do regimento interno da Câmara. Em momentos onde uma dúvida sobre esta ou aquela manobra poderia ser executada pela presidência da Casa, o ex-SGM estava pronto a sanar dúvidas, sempre com seu tom discreto e professoral – mesmo depois de aposentado da Câmara, Mozart virou assessor especial da Presidência da República no governo de Michel Temer.

O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), expressou condolências pela morte de Mozart Vianna:

Rodrigo Maia (DEM-RJ), que ocupou o cargo de presidente entre 2016 e 2021, também lembrou o papel do servidor da casa.

Mozart deixa mulher e quatro filhos.


> Presidente afastado do Ibama será investigado junto com Salles
> PGR acusou parlamentares por atos antidemocráticos antes de engavetar caso

Continuar lendo