Câmara tem semana decisiva para disputa à presidência

A semana deve ser marcada por viagens e definição de posicionamento de partidos em relação às candidaturas à sucessão de Rodrigo Maia (DEM-RJ) no comando da Câmara. A bancada do PT vai se reunir de maneira remota nesta segunda-feira (4) para discutir o assunto.

Dividido, o grupo de 52 deputados decidirá se apoia a candidatura de Baleia Rossi (MDB-SP) ou se lança candidato próprio à presidência da Casa. Se fechar com Baleia, o PT deve ficar com a primeira secretaria da Câmara. Há vários petistas cotados para uma candidatura própria, como Benedita da Silva (RJ) e Paulo Pimenta (RS).

As principais informações deste texto foram enviadas antes para os assinantes dos serviços premium do Congresso em Foco. Cadastre-se e faça um test drive.

Já o líder do PP, Arthur Lira (AL), começa nesta semana a fazer uma tour pelos estados do país para angariar apoio para sua candidatura a presidente da Câmara. Os primeiros a serem visitados são os estados do Norte. O líder do Centrão aposta em traições nos partidos que apoiam Baleia Rossi, principalmente no PSL, PSDB e PSBLira é o candidato do presidente Jair Bolsonaro e de grande parcela do chamado Centrão, grupo de partidos de centro e direita.

O deputado Marcelo Ramos (PL-AM), que é candidato a primeiro vice-presidente no bloco de Lira, acompanhará o líder do PP pela região Norte. As visitas ocorrerão em Belém (PA), Macapá (AP), Manaus (AM), Rio Branco (AC), Boa Vista (RR) e Porto Velho (RO).

Apesar de ser candidato do bloco, a vitória de Lira não garante Ramos na vice-presidência. Regimentalmente o presidente é escolhido por eleição direta dos deputados, já os outros cargos da Mesa Diretora são distribuídos conforme o tamanho do bloco partidário. Ou seja, se Lira ganhar e não tiver o maior bloco, o cargo de vice vai para outro deputado.

PT e PSB ainda enfrentam resistência para apoiar Baleia Rossi

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!