Baleia Rossi e PT negociam cargo na Mesa Diretora da Câmara

O PT deve assumir a primeira secretaria da Câmara dos Deputados caso o bloco encabeçado pelo deputado Baleia Rossi (MDB-SP) seja o maior da Casa Legislativa. Como o partido é o maior do grupo, ele tem direito pelo critério da proporcionalidade ao cargo de maior importância fora a presidência da Casa Legislativa. A primeira secretaria é responsável por decisões administrativas, como a gestão de despesas da Casa.

"Está indo bem. Devem finalizar na segunda-feira. Terão a primeira secretaria pelo que tudo indica", confirmou Baleia ao Congresso em Foco sobre o diálogo com o PT. O emedebista também disse que na semana que vem começará a ser organizada a agenda de viagens a estados para angariar apoio a candidatura.

As principais informações deste texto foram enviadas antes para os assinantes dos serviços premium do Congresso em Foco. Cadastre-se e faça um test drive.

"Estamos ainda priorizando o debate programático que devemos continuar nesta semana, mas o acordo que temos é que após a presidência, a primeira pedida é do PT porque é a maior bancada". Dividida entre apoiar Baleia ou lançar um nome próprio, a bancada petista adiou de ontem (29) para a próxima segunda-feira (4) o anúncio de sua posição na eleição da Câmara.

"Então caberá a bancada, normalmente a maior bancada escolhe ou a vice-presidência ou a primeira secretaria, devemos caminhar nisso. Sobre comissões, pelo nosso tamanho, o PT tem atualmente o direito a presidência de três comissões, isso claro, vamos debater também, além de relatorias e outras pautas importantes", completou o líder do PT.

Gleisi reclama de fala de Maia

A presidente nacional do partido, deputada Gleisi Hoffmann, afirmou ao Congresso em Foco que não está definida a ocupação de cargos na mesa diretora. "Estamos conversando sobre uma pauta política". A dirigente partidária não garante que o PT tome uma decisão sobre a disputa na Câmara após a reunião da próxima segunda. "Tem muito debate ainda".

Gleisi recebeu de forma negativa a fala do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que atrelou a aliança dos partidos na Casa com a eleição presidencial de 2022. "Foi ruim. São coisas bem diferentes", declarou a presidente do PT sobre a declaração de Maia dada durante entrevista ao jornal Folha de São Paulo.

>PT e PSB ainda enfrentam resistências internas para apoiar Baleia

 

Continuar lendo