“Bolsonaro foi a Alagoas em evidente provocação à CPI”, diz Renan Calheiros

O presidente Jair Bolsonaro, e o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), foram a Alagoas na manhã desta quinta-feira (13) para participar da entrega de 500 unidades habitacionais na capital Maceió.

Bolsonaro chegou ao aeroporto da cidade novamente sem máscara e provocando aglomeração entre seus apoiadores, contrariando as recomendações de autoridades de saúde na pandemia. Em seu discurso nesta manhã, o presidente afirmou que o Brasil tem "um vagabundo inquirindo pessoas de bem" no país. O público respondeu em coro "Renan vagabundo". Em referência ao senador relator da CPI da Covid, Renan Calheiros (MDB-AL).

O estado de Alagoas faz parte de uma disputa eleitoral do presidente Arthur Lira, aliado de Bolsonaro e que deve pleitear o governo do estado. Atualmente, o governador de Alagoas é Renan Filho, que é filho do senador Renan Calheiros e que faz oposição a Bolsonaro.

Mais cedo, em Brasília, no início da oitiva com o presidente da Pfizer na América Latina, Carlos Murillo, em solidariedade às famílias das vítimas da covid-19,  Renan Calheiros disse que com a "intimidação" de todos os dias "não haverá problema".

"Hoje mesmo o Presidente da República foi a Alagoas inaugurar obras estaduais – não é? –, numa evidente provocação a esta Comissão Parlamentar de Inquérito. A resposta a essas ofensas é aprofundar a investigação. Por isso, Carlos Murillo, sua presença aqui é muito importante, fundamental para esta Comissão Parlamentar de Inquérito", declarou.

O episódio se dá um dia após o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), filho do presidente Jair, ir à CPI da Covid e chamar o relator de "vagabundo". O presidente Jair Bolsonaro publicou o vídeo no Twitter questionando "Com mais de 10 inquéritos no STF, Renan tem moral para querer prender alguém?". Veja:

 

> “Moleque”: Renan e Flávio Bolsonaro discutem após CPI; assista 

Continuar lendo