Alcolumbre baixa ato para presidir eleição que disputará no Senado e exonera secretário-geral da Mesa

O presidente em exercício do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), exonerou há pouco o secretário-geral da Mesa, Luiz Fernando Bandeira de Mello, e se escalou para presidir a sessão que disputará no início desta noite. Alcolumbre se irritou com o ato publicado nesta sexta-feira pelo secretário-geral da Mesa que garantia ao senador José Maranhão (MDB-PB), o mais idoso com 85 anos, o comando da sessão em que será definido o novo presidente da Casa.

Candidato a presidente do Senado revogou decisão que botava aliado de Renan no comando de votação

O atual terceiro-secretário do Senado é um dos oito candidatos que se opõem a Renan Calheiros (MDB-AL) na corrida pela presidência da Casa. Ele alega que, regimentalmente, deve presidir a sessão por ser o único integrante da Mesa Diretora que continuará na Casa - os demais não foram reeleitos. O ato do secretário-geral foi interpretado por Alcolumbre como uma manobra para favorecer Renan.

Maranhão é aliado do ex-presidente do Senado e foi um dos emedebistas que sacramentaram, dentro da bancada, a vitória do senador alagoano na votação que tirou ontem a ex-líder Simone Tebet (MS) da disputa. O comando da sessão é considerado estratégico para os candidatos.

Alcolumbre exonerou Bandeira de Mello, considerado homem de confiança de Renan

O grupo que se opõe a Renan decidiu ontem fechar questão em dois pontos de interpretação regimental que deverão ser submetidos ao plenário. Eles querem que a votação seja aberta e que o candidato só seja eleito se alcançar 41 votos (maioria absoluta da Casa). Se isso não ocorrer em uma primeira votação, a disputa terá de ir para o segundo turno. Os aliados de Renan defendem que a votação seja secreta e que o vencedor seja aquele que obtiver a maioria dos votos.

Alcolumbre é o candidato apoiado pelo ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni. O senador viajou pelo país e disse ter se encontrado com mais de 70 integrantes da Casa. Ele afirma ter mais de 40 votos. Renan, por sua vez, também diz ter a maioria dos votos.

Os senadores serão empossados às 15 horas. A eleição está prevista para começar às 18 horas. Por causa da batalha regimental que se apresenta, há a expectativa de que a disputa avance madrugada adentro. A eleição deste ano é considerada a mais acirrada da história do Senado.

Renan vence disputa interna e será candidato a presidente do Senado

Sete senadores que serão empossados nesta sexta trocaram de partido

Direita cresce e engole o centro no Congresso mais fragmentado da história

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!