PF deve retomar investigação sobre interferência de Bolsonaro, determina Moraes

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes determinou nesta sexta-feira (30) que a Polícia Federal retome as investigações do inquérito que apura se o presidente Jair Bolsonaro tentou interferir na PF.

A decisão tomada por Alexandre de Moraes ocorreu no Inquérito 4.831, que investiga uma denúncia do ex-ministro da Justiça e Segurança Pública de Bolsonaro, Sergio Moro, de que Bolsonaro teria intenção de interferir no comando da Polícia Federal, buscando proteger investigações que mirassem em seus filhos. Tal interferência teria sido o estopim público da demissão de Moro do cargo de "superministro", em abril de 2020.

Moraes disse que a decisão de retomar o caso não tem relação com outra ação, esta movida pela defesa do presidente contra a possibilidade de Bolsonaro ter seu depoimento colhido presencialmente pela PF. O julgamento da questão está na pauta do dia 29 de setembro do Plenário da suprema corte.

Segundo Moraes, a PF não precisa aguardar que o Supremo decida a forma do depoimento de Bolsonaro, se por escrito ou presencial. Ele afirmou que há diligências pendentes que podem ser feitas independentemente dessa decisão.


> Maioria dos brasileiros quer se vacinar, mas muitos têm um imunizante de preferência
> Guedes minimiza projeção de queda na arrecadação com tributária: “Já está pago”

Se você chegou até aqui, uma pergunta: qual o único veículo brasileiro voltado exclusivamente para cobertura do Parlamento? Isso mesmo, é o Congresso em Foco. Estamos há 17 anos em Brasília de olho no centro do poder. Nosso jornalismo é único, comprometido e independente. Porque o Congresso em Foco é sempre o primeiro a saber. Precisamos muito do seu apoio para continuarmos firmes nessa missão, entregando a você e a todos um jornalismo de qualidade, comprometido com a sociedade e gratuito.
Mantenha o Congresso em Foco na frente.
JUNTE-SE A NÓS
Continuar lendo