“Duplo twist carpado inconstitucional”: veja reações ao julgamento do STF sobre reeleição no Congresso

O início do julgamento no  Supremo Tribunal Federal (STF) sobre a reeleição de presidentes e mesas diretoras da Câmara e do Senado em uma mesma legislatura repercute nas redes sociais. O voto do ministro Gilmar Mendes, relator da ação que discute o tema, permite que Rodrigo Maia (DEM-RJ) e Davi Alcolumbre (DEM-AP) concorram novamente aos cargos.

O entendimento de Gilmar foi seguido até o momento por quatro ministros – falta apenas um voto para que uma maioria seja formada em favor de Davi, e dois em favor de Maia. O Supremo tem 11 ministros.

A Constituição Federal impede a recondução dos presidentes dentro da mesma legislatura, que é o período de quatro anos que coincide com o mandato de deputado federal. Tanto Maia quanto Davi foram eleitos no início da atual legislatura, em 2019.

Veja abaixo algumas das reações:

O advogado e professor da Fundação Getulio Vargas (FGV) Thiago Amparo classificou a validação da reeleição dos presidentes das duas Casas de “ duplo twist carpado inconstitucional”.

O senador Alvaro Dias (Podemos-PR), do grupo Muda Senado, chamou o voto de Gilmar de “absurdo”.

A governista Bia Kicis (PSL-DF) considerou que os ministros do STF querem legislar e que o Congresso precisa rejeitar a decisão.

Outro deputado bolsonarista, Paulo Eduardo Martins (PSC-PR), também rechaçou ou votos dos ministros.

A ex-jogadora de vôlei Ana Paula Henkel, disse que o STF é uma “vergonha”.

O deputado Marcel van Hattem (Novo-RS) disse esperar que algum dos seis ministros restantes peça vista e impeça a conclusão do julgamento.

Carmelo Neto (Republicanos), vereador eleito de Fortaleza e apoiador do presidente Jair Bolsonaro, também se posicionou afirmando que “o Supremo apela para o malabarismo jurídico para atender os interesses do centrão”.

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!