Irmão de ex-ministro, Arthur Weintraub deixa governo e vai para OEA

Em vídeo ao lado do presidente Jair Bolsonaro, Arthur Weintraub, irmão do ex-ministro da Educação  Abraham Weintraub, anunciou que deixou o cargo de assessor especial da Presidência da República nesta terça-feira (15) para assumir um posto na Organização dos Estados Americanos (OEA).

“Foi uma honra, de coração, ter trabalhado com o senhor”, declarou a Bolsonaro. Ele disse ter deixado o presidente ciente da mudança desde o início do processo.

Bolsonaro lembrou que os irmãos Weintraub o apoiaram desde o início do projeto político à Presidência da República. “Dois anos antes das eleições (de 2018), o Arthur e seu irmão (Abraham) acreditaram na gente, fizemos uma viagem ao Japão, Coreia do Sul e Taiwan, num momento em que quase ninguém acreditava na gente”, disse.

Depois de acumular uma série de polêmicas no MEC, Abraham Weintraub foi exonerado em 20 de junho e assumiu uma diretoria no Banco Mundial, em Washington. A exoneração oficial do cargo de ministro só foi publicada depois de pousar em solo americano.

O estopim da saída teria sido a participação de Weintraub em ato contra o Supremo Tribunal Federal no domingo (14). “Já falei a minha opinião, o que faria com esses vagabundos”, disse. Ele é alvo de investigação do Supremo por ter defendido, em reunião ministerial de 22 de abril, que os ministros da mais importante corte do país fossem presos.

Cartão vermelho de Bolsonaro não foi para mim, diz Paulo Guedes

 

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!