Deputados e senadores reagem à saída de Weintraub: “já vai tarde”

A saída de Abraham Weintraub do Ministério da Educação repercutiu entre o mundo político e partidário nesta quinta-feira (18). A maioria das mensagens foi de comemoração pelo desembarque do governo.

Weintraub é alvo de insatisfação no Congresso, no Supremo Tribunal Federal e na ala militar do governo. Ele já protagonizou atritos envolvendo o Enem, o Fundeb, método de escolha de reitores e resistiu a negociação de cargos no governo.

O comunicado da saída foi feito nesta tarde  pelo agora ex-ministro e pelo presidente Jair Bolsonaro em um pronunciamento em vídeo. Weintraub assumiu o cargo em abril de 2019 após a demissão de Ricardo Vélez Rodríguez.

Ele disse que vai assumir um posto de diretoria no Banco Mundial.“Sim, dessa vez é verdade, estou saindo do MEC e vou começar a transição agora e nos próximos dias eu passo o bastão para o ministro que ficar no meu lugar, interino ou definitivo”, disse.

Embora em menor número também houve manifestações de apoio ao ex-ministro, sobretudo de deputados bolsonaristas e do presidente do PTB, o ex-deputado Roberto Jefferson.

Leia a seguir os comentários:

Deputado Marcelo Ramos (PL-AM):

Deputado João Campos (PSB-PE)

Demissão de Weintraub e já precisamos focar nos desafios que vêm pela frente.
.
O terceiro ministro da Educação de Bolsonaro promete ser uma triste extensão da era de Velez e Weintraub.
.
Carlos Nadalim, atual Secretário de Alfabetização do MEC, é mais um Olavista que assume o ministério por mero alinhamento ideológico e promoção de políticas duvidosas como a Educação domiciliar.
.
Fica claro que Bolsonaro não quer um MEC que trabalhe por um ensino de qualidade, mas para impor sua ideologia pessoal na educação brasileira.
.
Como coordenador da Comissão Externa de Acompanhamento dos Trabalhos do MEC, na Câmara dos Deputados, asseguro que iremos redobrar a fiscalização das ações do Ministério.

Senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP)

PSDB

O ex-ministro da Educação já vai tarde. Com Abraham Weintraub como titular da pasta nos acostumamos a agressões gratuitas, desprezo ao bom senso, ofensas às instituições e descuidos com o português, enquanto temas fundamentais como combate ao analfabetismo, gargalos do ensino médio e dificuldades na formação superior pareciam ter ficado em terceiro ou quarto plano.
Weintraub nunca se portou como um ministro, mas como um provocador barato em nome de uma ideologia autoritária e obscura. Que o próximo nome esteja à altura dos desafios do cargo, que são imensos e fundamentais para o desenvolvimento do Brasil.

Deputado Alexandre Frota (PSDB-SP)

Deputada Joice Hasselmann (PSL-SP)

Deputado Tiago Mitraud (Novo-MG)

Presidente do PTB, Roberto Jefferson

 

Deputada Carla Zambelli (PSL-SP)

Deputado Filipe Barros (PSL-PR)

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!