Bolsonaro faz “live react” do pronunciamento de Trump na Globo News

O presidente Jair Bolsonaro assistiu ao pronunciamento de Donald Trump através da Globo News, canal de TV especializado em notícias do grupo Globo, comumente atacado pelo mandatário. Na live, Bolsonaro ficou assistindo ao pronunciamento do norte-americano em silêncio em grande parte do tempo. Em determinado momento pediu a Constituição para um funcionário de seu gabinete.

> Irã alerta que aliados dos EUA podem virar alvos de ataques

Enquanto Trump falava, Bolsonaro destacou trechos da Carta Magna, que viria a ler depois. Quando Trump finalizou, o presidente do Brasil virou para a câmera e atacou o ex-presidente Lula. "Muitos acham que o Brasil deve se omitir no tocante aos acontecimentos. Eu só quero dizer uma coisa, o senhor Luis Inácio Lula da Silva enquanto presidente da república ele esteve no Irã e defendeu lá que aquele regime pudesse enriquecer urânio acima de 20% que seria para fim pacífico", disse antes de afirmar que deseja a paz no mundo.

O presidente destacou o artigo 4ª da Constituição que fala que o Brasil precisa defender a paz.

Lula

O ex-presidente Lula criticou a decisão do governo brasileiro de apoiar a investida norte-americana contra o Irã. Ele afirmou que esse posicionamento reflete a "subserviência" do presidente Jair Bolsonaro aos Estados Unidos e sugeriu que isso pode criar problemas para o Brasil. Por isso, acabou mandando um recado para o atual presidente: "Ô, Bolsonaro, o Brasil não precisa disso. O Brasil não precisa ser lambe-botas de ninguém".

Pronunciamento de Trump

"Não vamos aceitar que o Irã tenha armamento nuclear". Foi assim que o presidente dos Estados UnidosDonald Trump, respondeu o ataque do Irã que destruiu bases militares americanas no Iraque. Ele disse que ninguém saiu ferido do ataque e afirmou que o Irã parece estar recuando. Porém, também garantiu que novos conflitos não serão tolerados. Para reforçar esse recado, Trump ainda anunciou novas sanções econômicas ao Irã, convocou outros países ocidentais a lutarem contra o terrorismo e alertou o Oriente Médio sobre o poder bélico das forças militares americanas: "Nossos mísseis são fortes, poderosos, precisos, letais e rápidos".

Veja como foi o pronunciamento de Trump

E o Brasil com isso?

Diante da escalada da tensão no Oriente Médio, a Embaixada dos Estados Unidos no Brasil pediu que os norte-americanos que vivem no Brasil tomem medidas adicionais de segurança. A embaixada argumenta que o conflito com o Irã pode causar riscos a quem vive no exterior e recomenda, entre outras coisas, que esses cidadãos tenham cuidado caso precisem visitar algum ponto turístico no Brasil.

O agronegócio acompanha com preocupação os desdobramentos da posição brasileira em relação ao conflito entre Estados Unidos e Irã. O setor é o principal beneficiário das transações comerciais do Brasil com o país do Oriente Médio. O Irã foi o segundo maior importador de milho, o quinto maior comprador de soja e o sexto maior de carne bovina do Brasil em 2019, segundo o Ministério da Economia.

Poucos minutos após assumir a autoria dos ataques contra bases dos Estados Unidos no Iraque, o Irã emitiu um alerta: Aliados militares dos norte-americanos podem virar alvos de ataques a qualquer momento.

"Estamos alertando todos os aliados dos americanos, que deram suas bases ao seu exército terrorista, de que qualquer território que seja ponto de partida de atos agressivos contra o Irã será alvo", disse a Guarda Revolucionária do Irã por meio da a agência de notícias oficial iraniana, Irna.

> EUA pedem cuidados extras dos americanos que vivem no Brasil

> Siga o Congresso em Foco no Twitter e fique sempre bem informado!

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!