Bolsonaro chama retaliação de Irã aos EUA de operação quase suicida

O presidente Jair Bolsonaro disse nesta sexta-feira (3) que se o Irã retaliar o ataque que sofreu dos Estados Unidos seria “uma operação quase suicida”. A fala foi feita em entrevista ao apresentador do programa Brasil Urgente, da Band, José Datena.

“Tem que ver o potencial bélico e militar do Irã, acho muito difícil, pode até haver, mas seria uma operação quase suicida”, declarou.

> Tensão mundial cresce após ataque dos EUA contra Irã

O presidente evitou responder se teve contato com o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, após o episódio. “Se isso vier a acontecer ou já aconteceu, a gente não divulga”, afirmou.

Durante sua participação no programa da Band, Bolsonaro também disse que se reuniu com o presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, para tratar dos impactos da escalada de tensão entre EUA e Irã.

“Ele acha que esse pequeno aumento no combustível de hoje [já existente antes da tensão] não vai perdurar por muito tempo”, disse.

No entanto, o presidente da República reforçou declaração dada no Palácio da Alvorada mais cedo de que o preço pode aumentar se houver um conflito prolongado entre os países. “É claro que se houver conflito prolongado, pela localização geográfica, o mundo vai sofrer”.

Bolsonaro também disse que é possível que o petróleo perca lugar para fontes alternativas de energia e que países do oriente médio com forte presença de fundamentalismo religioso percam poder de negociação.

“A tendência é de se consumir cada vez menos petróleo e cada vez mais países que dão guaridas a terroristas se distanciam deles mesmos, quanto mais de nós. O ciclo do petróleo um dia vai acabar”.

> EUA x Irã: Bolsonaro se encontrará com Heleno antes de se posicionar

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!