Bolsonaro e Trump devem discutir sobre Venezuela, China, vistos e base de Alcântara em encontro na terça

Uma das grandes expectativas desta terça-feira (19) é para o encontro do presidente Jair Bolsonaro com o norte-americano Donald Trump, em Washington, nos EUA. Na pauta, assuntos de economia, segurança, defesa, diplomacia na América Latina.

Sem informar detalhes, a Casa Branca divulgou alguns pontos previstos para a conversa entre os presidentes do Brasil e dos Estados Unidos. Entre eles, "a restauração da democracia na Venezuela" e "esforços para entregar ajuda humanitária".

No discurso que fez nesta segunda (18) em um evento na Câmara Americana de Comércio em Washington, Bolsonaro disse que o Brasil conta com o apoio e a capacidade bélica dos EUA para “libertar o povo” da Venezuela. “Temos alguns assuntos que estamos trabalhando em conjunto, reconhecendo a capacidade econômica, bélica, entre outras, dos EUA. Temos que resolver a questão da nossa Venezuela”.

Brasil e EUA foram os primeiros a reconhecer Juan Guaidó como presidente interino da Venezuela, contra o regime de Nicolás Maduro, a quem pressionam para que deixe o poder.

Outros temas

As relações comerciais entre o Brasil e a China, com quem Trump tem travado uma batalha, também devem ser tema do encontro. Um dia antes de embarcar para os EUA, Bolsonaro afirmou, em uma transmissão ao vivo pelo Facebook, que pretende visitar a China, a "grande parceira" comercial do Brasil no segundo semestre.

A base de lançamento de Alcântara, no Maranhão, e o acordo de salvaguardas tecnológicas que vai permitir o uso comercial da base, assinado nesta segunda (18), deve ser mais um assunto em pauta. O documento prevê, na prática, que o governo americano poderá lançar satélites e foguetes mantendo-a sob jurisdição brasileira.

No Twitter, o presidente defendeu a medida e cobrou a aprovação dos parlamentares: "O não chancelamento deste acordo, que agora depende da aprovação do Congresso Nacional, faz há muito tempo com que o Brasil perca muito dinheiro por não explorar esta área privilegiada para realização de tal manobra de forma comercial".

Mais uma medida já anunciada hoje que também será assunto entre os dois presidentes é a dispensa do visto para cidadãos dos EUA entrarem no Brasil. A medida foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) e faz parte de um dos gestos do presidente Jair Bolsonaro ao norte-americano Donald Trump, com quem tem um encontro amanhã (19).

A isenção vale também para visitantes da Austrália, Canadá e Japão. É, porém, unilateral. O que significa que os brasileiros continuam precisando de visto para entrar nesses países. O governo, porém, argumenta que o turismo no Brasil vai ser beneficiado com a medida.

Expectativa

Ao desembarcar nos Estados Unidos, neste domingo (17), Jair Bolsonaro disse que a visita significa o início de uma parceria "pela liberdade e prosperidade, como os brasileiros sempre desejaram". "Brasil e Estados Unidos juntos assustam os defensores do atraso e da tirania ao redor do mundo. Os quem têm medo de parcerias com um país livre e próspero. É o que viemos buscar!", escreveu o presidente no Twitter.

No discurso de ontem à noite, Jair Bolsonaro disse que estava se sentindo "quase em casa" e que esperava ver esse sentimento "materializado" no encontro com Donald Trump.

"Com toda a certeza esse sentimento será materializado. Sempre tive muita admiração para com o povo americano. Para mim, em muitas coisas, sempre serviu como exemplo", disse. O discurso foi postado em vídeo no Twitter pelo filho Eduardo Bolsonaro, deputado pelo PSL, um dos integrantes da comitiva que acompanha o presidente.

Como foi a terça nos EUA

Bolsonaro está nos EUA desde domingo (17) e tem previsão de chegar em Brasília na manhã de quarta (20).

Nesta segunda (18), o presidente esteve em uma reunião na CIA, agência de inteligência americana, em um encontro fora da agenda oficial. Bolsonaro também deu uma entrevista à Fox News, além de participar do evento na Câmara de Comércio, onde foi assinado o acordo da base de Alcântara. À noite, ele janta com empresários.

 

Bolsonaro tem reuniões com ex-secretário do Tesouro e empresários nos Estados Unidos

Aumenta rejeição e cai aprovação ao governo Bolsonaro, aponta pesquisa XP/Ipespe

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!