STF decide destino de Lula sob pressão contra e a favor do petista

Reprodução / Facebook

No Rio, Lula falou a correligionários na terça-feira (3); em SP, defensores da prisão do petista ocuparam a Av. Paulista

 

O Vem Pra Rua mobilizará pessoas em 100 cidades e em pelo menos quatro países, de acordo com os organizadores. A promessa é de manifestação pacífica, democrática e contra a corrupção. O grupo entende que "rediscutir as prisões após condenação em segunda instância pode não só beneficiar o ex-presidente Lula, como também todos os outros investigados e condenados por crimes de corrupção que travam o desenvolvimento do Brasil, além de criminosos de outras naturezas". Para VPR, voltar ao tema é "algo oportunista e inadequado – em especial neste momento em que o país busca renovação".

O Movimento Brasil Livre (MBL) também convocou manifestações contra o ex-presidente Lula. Os atos também começaram ontem (terça-feira, 3), às 18h. O grupo promete se reunir em frente ao Supremo durante o julgamento. De acordo com Ian Garcez, membro do MBL, caso o tribunal negue o habeas corpus a Lula, o MBL fará celebrações em diversos estados brasileiros. "Caso contrário, daremos início a outra estratégia de mobilização", garante.

Operação de guerra

Em Brasília, as forças de segurança farão alterações no trânsito da cidade "para garantir a segurança dos manifestantes". As manifestações ficarão limitadas à Alameda das Bandeiras, em frente ao Congresso Nacional, a cerca de 200 metros do prédio. Itens como balões e bonecos infláveis gigantes terão o acesso barrado em uma grande área delimitada na Esplanada dos Ministérios.

A exemplo do que se viu durante a última votação do impeachment da ex-presidenta Dilma Rousseff, em 31 de agosto de 2016, haverá uma divisão da Esplanada entre os manifestantes favoráveis e contrários a Lula. Essa divisão será feita por meio de um corredor de policiamento ostensivo e uma grade de 1,20 metro de altura. Os contrários à concessão do habeas corpus deverão ficar à direita da Esplanada, concentrando-se no Museu Nacional. Já os favoráveis à decisão ficarão à esquerda, reunindo-se a partir do Teatro Nacional.

Por questão de segurança, a Secretaria de Segurança Pública do DF não informou o efetivo de policiais a ser colocado em ação. Pelo mesmo motivo, o Supremo Tribunal Federal também não informou quais procedimentos de segurança serão executados. Uma manifestação organizada por ruralistas ficará concentrada no estacionamento do Ginásio Nilson Nelson, estádio de futebol a menos de cinco quilômetros do Congresso.

 

<< Por unanimidade, Lula tem pena ampliada para 12 anos de prisão. Veja como foi julgamento

<< STF suspende julgamento sobre habeas corpus de Lula e proíbe prisão antes de retomada do caso

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!