Sem quórum, fracassa primeiro dia de “esforço concentrado” na Câmara

Não houve acordo entre líderes partidários. Projeto para derrubar política nacional de participação social do governo continua no centro da disputa

Por falta de quórum, a Câmara encerrou sessão convocada para esta terça-feira (2) sem colocar em votação nenhum projeto. O quórum mínimo necessário para votações é de 257 deputados.

Os deputados analisaram requerimento para alteração da ordem dos itens na pauta prevista, mas foram registrados apenas 112 dos 257 votos necessários. Com o quórum insuficiente, a sessão foi encerrada. Amanhã, haverá outra tentativa.

Líder do DEM, o deputado Mendonça Filho (PE), por exemplo, queria que fosse votado primeiramente o polêmico projeto que cancela a política nacional de participação social do governo federal.

Já o líder do PT, deputado Afonso Florence (BA), não concordou com a mudança na pauta. O partido queria começar a sessão pelo primeiro item da pauta, a medida provisória que libera as emissoras de rádio para transmissão do programa “Voz do Brasil” em qualquer horário entre 19 e 22 horas.

Os parlamentares estão se dedicando às campanhas eleitorais. A exemplo do que ocorreu em agosto, a Câmara e o Senado promovem esta semana mais um “esforço concentrado” para votação de projetos.

O líder do SD, Fernando Francischini (PR), acusou o PT de inviabilizar as votações no plenário com receio de derrota na votação do projeto sobre participação social.

 

Congresso faz último "esforço" antes das eleições

Assine a Revista Congresso em Foco

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!