Meirelles diz que recessão é “olhar no retrovisor”: “País começa a crescer”

Ministro da Fazenda minimiza encolhimento de 3,6% do PIB e confirmação da maior recessão da história do país. Para ele, país está voltando ao "normal" na política e na economia

 

 

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, classificou o novo encolhimento da economia brasileira, registrado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), como “um olhar no retrovisor”. Em reunião no Palácio do Planalto, Meirelles disse que, apesar dos indicadores negativos, o país já volta “claramente a crescer” em 2017. O Brasil amarga a mais longa recessão da série histórica medida pelo IBGE, desde 1948, e acumula queda de mais de 7% nos últimos dois anos. O país só teve dois anos seguidos de queda na economia entre 1930 e 1931.

“O PIB divulgado hoje refere-se ao ano passado. É olhar no espelho retrovisor”, declarou. “A retomada no final do ano passado não foi tão rápida, de fato não foi. É o resultado de uma série de políticas que levaram a economia brasileira a enfrentar a maior crise da sua história”, acrescentou Meirelles na abertura da reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social, da qual também participou o presidente Michel Temer.

De acordo com o ministro, a tendência é que o Produto Interno Bruto (PIB) cresça pouco, mas de maneira gradativa, este ano. “O Brasil hoje já é um país que volta ao normal. Um país que aprova reformas fundamentais e começa, de fato, a adquirir normalidade também na área política e congressual, mas também na economia. Relatórios que diversas áreas mostram que ainda sentimos os efeitos da recessão. Mas o país começa claramente a crescer”, disse.

Mais sobre economia brasileira

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!