PSDB pede investigação e afastamento de Graça Foster

Para líder do partido na Câmara, presidenta da Petrobras mentiu durante depoimento na CPMI da estatal ao dizer que foi informada sobre as suspeitas de propinas na petrolífera após reportagem de jornal. Tucano diz que ela perdeu "autoridade moral"

O líder do PSDB na Câmara, Antônio Imbassahy (BA), pediu nesta quinta-feira (20) o afastamento e investigação da presidenta da Petrobras, Graça Foster, por supostamente ter mentido em depoimento na Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) da estatal no Congresso. Os pedidos estão em representações encaminhadas à Procuradoria da República no Distrito Federal e ao Ministério Público junto ao Tribunal de Contas da União (TCU).

Na visão do tucano, ela se contradisse recentemente ao admitir, em entrevista dada nesta semana, que teve conhecimento que a SBM Offshore teria subornado servidores e ex-funcionários da estatal e que, por isso, a empresa holandesa estava proibida de celebrar novos contratos. A declaração, de acordo com Imbassahy, vai de encontro com a resposta dada na CPMI da Petrobras, em junho.

Na oportunidade, ela afirmou que soube da situação da SBM Offshore por uma matéria do jornal Valor Econômico. "Ela perdeu a autoridade moral e mentiu durante o depoimento desta CPMI. Não apenas para os senhores deputados e senhores senadores, mas mentiu para o povo brasileiro", afirmou o tucano durante a sessão da CPMI realizada ontem.

Nas representações, Imbassahy diz que a presidenta da Petrobras usou o cargo para dificultar a investigação, transferiu imóveis de familiares após saber das denúncias e ocultou informações à CPMI. Por isso, ele pede o afastamento de Graça Foster e a instauração de inquérito criminal pela suposta prática de falso testemunho e prevaricação.

Mais sobre a Operação Lava Jato

Assine a Revista Congresso em Foco

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!