Presidente do TCU ocupará imóvel de R$ 2,7 mi do filho, investigado pela PF

Apartamento em área privilegiada de Brasília será ocupado por Aroldo Cedraz com requintes de luxo, informa o Estadão. Levantamento da corte revelou que Tiago, o filho do ministro, atua em 130 processos junto à corte e amealhou fortuna com eles

O presidente do Tribunal de Contas da União (TCU), Aroldo Cedraz, vai ocupar um imóvel de alto luxo comprado pelo próprio filho, o advogado Tiago Cedraz, no valor de R$ 2,7 milhões pela Cedraz Administradora de Bens Públicos. A empresa tem capital de R$ 20 milhões e foi por aberta por Tiago e mãe e mulher do ministro, Eliana Leite Oliveira, como revelou reportagem do jornal O Estado de S. Paulo na última quinta-feira (16). Tiago é alvo de investigação da Polícia Federal por suspeita de tráfico de influência junto à corte.

Tiago tem 33 anos e, em pouco mais de nove anos de profissão, fez fortuna com a banca que atua junto à corte presidida pelo pai. Na última terça-feira (14), a Polícia Federal cumpriu mandados de busca e apreensão em imóveis e no escritório do advogado, uma mansão localizada no Lago Sul, bairro nobre de Brasília.

Ainda segundo reportagem do Estadão veiculada neste sábado (18), o apartamento, localizado na Asa Sul de Brasília, fica no mesmo prédio em que moram Tiago e a nora de Aroldo Cedraz, em um imóvel com as mesmas dimensões e negociado por R$ 2,9 milhões – parte financiada pelo Banco do Brasil. Os imóveis comprados em 13 anos pela família Cedraz custaram R$ 13 milhões.

“Levantamento de técnicos do TCU mostra que advogados que integram ou já integraram o escritório, construído por Tiago em uma casa de alto padrão no Lago Sul, têm procuração em ao menos 130 processos. Ministros da corte, incomodados com o escândalo, cobram do TCU a lista completa para ‘monitorar os casos’”, diz trecho da reportagem.

Leia a íntegra

Mais sobre o Tribunal de Contas da União

Continuar lendo