PPS quer ação contra auxílio-moradia de deputados estaduais

Benefício retroativo aos anos 90 varia de R$ 5 mil a R$ 354 mil para ex-parlamentares de Pernambuco

O presidente do PPS em Pernambuco, o ex-deputado federal Raul Jungmann, disse neste sábado (24) que o partido apóia a iniciativa do ex-presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Jayme Ásfora, para combater o pagamento de auxílio-moradia retroativo a deputados estaduais. Ásfora vai abrir uma representação no Ministério Público contra a decisão da Assembleia Legislativa de Pernambuco.

Os pagamentos se referem ao período de 1994 e 1997 e começaram a ser pagos em setembro. Quem exerceu mandato àquela época vai ter direito a receber de R$ 5,4 mil e R$ 354 mil, divididos em até 36 parcelas. Há ex-parlamentares com residência em Recife (PE) que recebem o dinheiro, segundo a assessoria do PPS.

“Como explicar para um trabalhador que pega 3 ônibus por dia e gasta 25% de seu salário com moradia que deputados vão receber até R$ 354 mil de auxílio mesmo morando a poucos quarteirões da assembleia?”, criticou Jungman, em comunicado distribuído neste sábado (24). “É algo escandaloso e um desrespeito com a população pernambucana. Fatos como esse só aprofundam o fosso entre os políticos e a sociedade.”

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!