Polícias Militar e Federal reforçam segurança para o julgamento da Chapa Dilma-Temer no TSE

Cerca de 4 mil homens das policias Militar e Federal reforçarão a segurança do prédio durante os três dias de julgamento

Agência Brasil
 

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) amanheceu cercado por policiais devido ao reforço no esquema de segurança no tribunal, bem como nas áreas próximas ao prédio da Corte. Cerca de 4 mil homens da Polícia Militar, da Polícia Federal, da estação móvel da PM, Batalhão de Choque e Batalhão da ROTAM estão escalados para atuar nos próximos três dias no TSE, em julgamento inédito na Corte sobre suspeita de abuso econômico por uma chapa presidencial.

Leia também:
Advogado revela estratégia de Temer para o julgamento que será retomado hoje no TSE

Tanto o público externo quanto os funcionários do prédio não estão autorizados a estacionar em áreas próximas ao TSE, que foram totalmente fechadas por barreiras de contenção. De acordo com o coordenador de segurança do Corte, Hélio de Faria, pelo menos três partidos políticos, sendo um da Rede Sustentabilidade, enviaram ofício com pedido para instalar tendas e telões em áreas próximas para acompanhar a sessão. "Nós disponibilizamos espaços para os manifestantes aqui próximos. Isso foi autorizado pelo tribunal. Eles vão montar uma tenda e um telão", assegurou.

Algumas horas antes do início do julgamento, cães farejadores farão uma varredura na área interna do Tribunal. Haverá a intensificação da inspeção nas entradas principais do prédio do TSE, especialmente no térreo e no subsolo, por meio dos equipamentos de raio-X e pórticos detectores de metais, sendo que algumas áreas internas do Tribunal terão acesso restrito.

 

 

O esquema de segurança é bem maior que último utilizado no início do julgamento, em 4 de abril. Apesar de não ter sido mencionado, uma das causas para o aumento no reforço da segurança pode ter sido para evitar o confronto ocorrido na última manifestação em Brasília, no dia 24 de maio, no movimento intitulado Ocupa Brasília, que teve direito a quebra-quebra, ataques entre polícia e manifestantes e um decreto que autorizou o uso das Forças Armadas para conter as manifestações na cidade.

O TSE também pediu reforço para o Corpo de Bombeiros, que disponibilizará uma viatura para atender a qualquer eventualidade, e de uma UTI Vida, para o caso de pessoas precisarem de atendimento de emergência.

O presidente da Corte Eleitoral, ministro Gilmar Mendes, convocou duas sessões extraordinárias para o julgamento exclusivo da ação que julgará a chapa Dilma Rousseff-Michel Temer, além das sessões ordinárias já agendadas.

 

Roberto Jayme/Ascom-TSE
 

Nesta terça-feira (6), a sessão será retomada a partir das 19h. As outras sessões estão marcadas para quarta (7), às 19h, e quinta-feira (8), às 9h e às 19h. Nos três dias de julgamento, não haverá sessão administrativa.

As sessões serão abertas ao público, respeitando a lotação do local e a vestimenta. No Plenário, que comporta 240 pessoas sentadas, serão reservados assentos para advogados e autoridades. Para fazer a identificação desses visitantes haverá reforço na segurança, bem como será instalado um detector de metais próximo à entrada do plenário.

Mais sobre crise brasileira

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!