Oposição consegue assinaturas para CPI do MST

Mário Coelho


A oposição na Câmara conseguiu nesta sexta-feira (9) número suficiente de assinaturas para protocolocar a criação da CPI mista do Movimento dos Trabalhadores Sem-Terra (MST). O deputado Onyx Lorenzoni (DEM-RS), responsável pela coleta de apoio na Câmara, afirmou pela manhã que conseguiu o apoio de 172 deputados, um a mais que o mínimo necessário.


"Vamos investigar os repasses de 10, 20, 30, 120 milhões para o MST", afirmou o parlamentar, referindo aos repasses financeiros feitos pelo governo ao movimento. Onyx disse que vai se reunir na próxima semana com a senadora Kátia Abreu (DEM-TO), que coletou 34 assinaturas no Senado, para discutir os próximos passos. A maior probabilidade é que o requerimento seja apresentado entre segunda e terça-feira.


O atual pedido de CPI pretende analisar denúncias publicadas pela revista Veja e pelo jornal O Estado de S.Paulo sobre o financiamento público do MST, que usaria os recursos para a ocupação de terras e prédios públicos. No fim de setembro, a comissão chegou a ser protocolada, mas por conta da retirada de assinaturas de parlamentares da base, acabou arquivada.

O novo pedido de CPI foi impulsionado esta semana depois que membros do MST destruíram cerca de sete mil pés de laranja em fazenda considerada produtiva em Borebi (SP).

Leia mais:

MST acusa empresa de utilização irregular em SP

Senadores condenam ação do MST em fazenda produtiva

Senadores ligados a movimentos sociais criticam ação do MST

Continuar lendo