Operação Politeia: PF cogitou fazer buscas na Câmara

O alvo seria o gabinete do líder do PP, Eduardo da Fonte, suspeito de ser beneficiado com o repasses de recursos desviados da Petrobras. Mas o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, não concordou com as buscas

Durante o planejamento da Operação Politeia, primeiro desdobramento da Lava Jato no âmbito do Supremo Tribunal Federal (STF), a Polícia Federal (PF) solicitou a realização de buscas em gabinetes da Câmara dos Deputados. A informação é do jornal Folha de S. Paulo.

O alvo seria o gabinete do líder do PP, Eduardo da Fonte (PE), suspeito de ser beneficiado com o repasses de recursos desviados da Petrobras. No entanto, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, não concordou com as buscas na Câmara. Ele classificou a medida como “gravosa”. Para a Folha, Janot não encontrou indícios de que atos ligados ao esquema de corrupção na Petrobras ocorreram dentro da Câmara.

Na semana passada, a Operação Politeia cumpriu 53 mandados de busca e apreensão no Distrito Federal, Bahia, Pernambuco, São Paulo, Rio de Janeiro, Alagoas e Santa Catarina. A força-tarefa fez buscas nas casas do senador Fernando Collor (PTB-AL), tanto em Brasília quanto em Maceió; e na residência do senador Ciro Nogueira (PP-PI) na capital da República. Nogueira é o atual presidente nacional do PP. Os policiais também buscaram documentos na casa do deputado Eduardo da Fonte (PP-PE) e na sede da TV Gazeta de Alagoas, afiliada da Rede Globo, emissora da qual o ex-presidente da República é sócio.

 

Confira a matéria na íntegra

Mais sobre Operação Lava Jato

Continuar lendo