OAS cita Serra em negociação de delação premiada, diz Folha

Segundo a colunista Mônica Bergamo, nome do ministro das Relações Exteriores aparece na relação de quase uma centena de políticos sobre os quais a empreiteira promete dar informações detalhadas de contribuições para campanhas eleitorais

A empreiteira OAS citou o ministro das Relações Exteriores, José Serra (PSDB), nas negociações para fechar acordo de delação premiada na Operação Lava Jato. Segundo a colunista Mônica Bergamo, da Folha de S.Paulo, o senador licenciado integra a lista de quase uma centena de políticos sobre os quais a empreiteira promete dar informações detalhadas de contribuições para campanhas eleitorais.

Serra também aparece na relação de mais de 200 políticos apreendida na casa de um executivo de outra empreiteira investigada, a Odebrecht. De acordo com a colunista, Pedro Novis, que antecedeu Marcelo Odebrecht na presidência do grupo, sempre foi um admirador do tucano. Procurado, Serra não foi localizado por sua assessoria, informa a Folha.

O presidente do PSDB, senador Aécio Neves (PSDB-MG), já havia dito que as doações feitas pela empreiteira para integrantes da legenda foram legais e que era preciso separar o “joio do trigo”.

Ainda de acordo com a colunista, outra personalidade que tem ganhado destaque nas negociações da delação da Odebrecht é o ex-ministro da Fazenda Guido Mantega, cujo nome aparece vinculado até a contribuições feitas ao PMDB. A defesa de Mantega diz que as ilações carecem de qualquer fundamento.

Leia a íntegra da coluna de Mônica Bergamo

Mais sobre a Operação Lava Jato

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!