Novo ministro evita comentar denúncias na Agricultura

Mendes Ribeiro, confirmado hoje como titular da Agricultura, diz que precisa ter cautela antes de tratar de acusações e espera primeira conversa com Dilma Rousseff

Confirmado nesta quinta-feira (18) como novo ministro da Agricultura, o deputado Mendes Ribeiro (PMDB-RS) evitou fazer comentários sobre as recentes denúncias que atingiram a pasta e resulturam na demissão do então ocupante do cargo, Wagner Rossi. O peemedebista, que deve tomar posse na segunda-feira (22) à tarde, disse que, antes de tratar de qualquer mudança nos rumos do ministério, precisa conversar com a presidenta Dilma Rousseff.

"Eu preciso ter a cautela da liturgia do cargo, eu não falei ainda com a presidenta. Uma pasta que tem uma responsabilidade enorme e que por conseguinte essa responsabilidade é do ministro", afirmou o peemedebista. Ele adiantou que deve chamar colegas gaúchos para a pasta. Antes, vai conversar com os ex-ministros da Agricultura Francisco Turra e Pratini de Moraes, ambos titulares da pasta no governo de Fernando Henrique Cardoso.

Hoje ele ainda despacha como líder do governo no Congresso, cargo que ocupa desde 1º de julho. Pela manhã, o peemedebista esteve no Palácio do Planalto e conversou com a ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffman, e com o secretário-geral da Presidência, Gilberto Carvalho. Com Dilma, apenas uma conversa telefônica. O encontro com a presidenta deve ocorrer amanhã, já que hoje ela está em São Paulo, onde assinou um termo de compromisso no Plano Brasil Sem Miséria.

Questionado sobre reclamações de agricultores brasileiros com relação à divulgação dos produtos, Mendes Ribeiro afirmou que o grande problema do país é a forma de vendê-los. "Nós temos de vender o nosso produto. Ninguém manda no mercado, o mercado se faz, e nós temos de trabalhar isso. Nós temos de agregar valor", disse. Ele adiantou que estará presente na discussão e votação do Código Florestal no Senado. "O Código Florestal é um entendimento que nós temos que perseguir", ressaltou.

Negociador

A indicação de Mendes Ribeiro foi elogiada pelo presidente da Câmara, Marco Maia (PT-RS). Apesar de lamentar a saída de Wagner Rossi - "um ministro admirado por todos" -, disse estar "feliz" com a confirmação do peemedebista. "Ele é um negociador, um homem que conhece bem o Parlamento, conhece bem o Brasil, que não toma atitudes precipitadas", afirmou. Para Maia, essas características serão necessárias para tratar com outras pastas, em especial a do Meio Ambiente e a do Desenvolvimento Agrário.

O presidente da Câmara lembrou que, durante a campanha presidencial de 2010, Mendes Ribeiro foi o primeiro peemedebista gaúcho a apoiar a candidatura de Dilma Rousseff. No Rio Grande do Sul, a maior parte do partido apoiou o tucano José Serra. Para ele, ao indicar o deputado para o cargo, a presidenta "reconhece" o apoio dado na campanha. No lugar de Mendes Ribeiro, deve assumir o ex-deputado Eliseu Padilha (PMDB-RS), que foi um dos apoiadores de Serra e ministro dos Transportes no governo Fernando Henrique Cardoso.

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!