Nos jornais: no Congresso, 1/5 quer trocar cadeira atual por prefeitura

De acordo com levantamento feito pela Folha de S. Paulo, 127 congressistas já planejam trocar de função. Jornal destaca também que ministro da Integração Nacional é réu por comprar o mesmo terreno duas vezes

Folha de S. Paulo

No Congresso, 1/5 quer trocar cadeira atual por prefeitura

Menos de um ano após tomarem posse, 127 congressistas já planejam trocar de função e disputar, em outubro, uma cadeira de prefeito. Segundo levantamento feito pela Folha, 121 deputados federais e seis senadores -21% do total de 594 parlamentares- tentam viabilizar seus nomes para o pleito.

A oficialização das candidaturas ocorre em junho e os congressistas não precisam se licenciar para a disputa. Os parlamentares-candidatos levam vantagens como a visibilidade do mandato e a possibilidade de terem, até abril, verba para produzir jornais e vídeos a título de divulgação do mandato.

Ao fim dos arranjos estaduais, o número de deputados e senadores que realmente vão concorrer pode ser menor por causa das alianças. Em 2004, 96 congressistas saíram candidatos a prefeito ou vice. Mas apenas 16 foram eleitos.

Ministro é réu por comprar o mesmo terreno duas vezes

O ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra Coelho (PSB), usou recursos públicos para comprar o mesmo terreno duas vezes, quando era prefeito de Petrolina, em Pernambuco. A primeira compra ocorreu no final de seu primeiro mandato, em 1996, por R$ 90 mil. Na segunda, já em 2001, durante seu segundo mandato, o negócio custou R$ 110 mil.

Nas duas vezes, o dinheiro beneficiou o mesmo empresário, José Brandão Ramos, sob a mesma justificativa: transformar a área em um aterro sanitário. As aquisições custaram R$ 500 mil, em valores atualizados. Ramos é primo do secretário de Agricultura de Pernambuco, Ranilson Ramos, que é do PSB, partido do ministro.

Bezerra diz que foi induzido a erro por sucessor

O ministro Fernando Bezerra Coelho (Integração Nacional) admitiu, por intermédio de sua assessoria, que o terreno foi comprado duas vezes pela Prefeitura de Petrolina (PE), mas disse que foi induzido a erro pela gestão do prefeito Guilherme Coelho, seu primo, que o sucedeu em 1997.

Segundo nota enviada, o terreno foi comprado pela primeira vez no final de 1996, quando seu mandato terminava, mas "por equívocos da gestão subsequente" deixou de ser registrado no Cadastro Imobiliário do Município e no Registro Geral de Imóveis.

Kassab propõe aliança com o PT em SP

Gilberto Kassab ofereceu ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva um nome de seu partido, o PSD, para ser vice do petista Fernando Haddad na disputa pela Prefeitura de São Paulo, em outubro.

A conversa ocorreu na semana passada, quando o prefeito paulistano visitou Lula no hospital Sírio-Libanês, onde ele passa por tratamento de radioterapia contra um câncer na laringe.

Na ocasião, segundo a Folha apurou, Kassab teria autorizado o petista a escolher o nome que quisesse dentro da legenda.

O novo gesto do prefeito tem potencial explosivo dentro do PT, que é um dos principais críticos da administração municipal.

Crescem acidentes a caminho do trabalho

A despesa da Previdência com os chamados acidentes de trajeto -aqueles sofridos a caminho do emprego ou na volta para casa, depois do expediente- subiu 37% entre 2009 e 2011. O valor saltou de R$ 850 milhões para R$ 1,16 bilhão, segundo projeção do Ministério da Previdência Social.

"É um custo crescente que causa preocupação. Com o número maior de veículos nos grandes centros urbanos, o deslocamento dos trabalhadores virou um inferno", afirma Remígio Todeschini, diretor de saúde ocupacional do Ministério.

Em 1ª missa, padre expulso pela ditadura usa tom político

Na missa em que comemorou a autorização para que voltasse definitivamente para o Brasil, o padre italiano Vito Miracapillo, 65, não deixou de lado o discurso político que lhe rendeu a expulsão do país em 1980, durante a ditadura militar.

Na noite de sábado, o regresso do religioso lotou a modesta Capela de São Pedro e São Paulo, erguida por ele em Ribeirão, cidade na zona da mata de Pernambuco.

Aplaudido de pé mais de uma vez, abraçado e beijado por cerca de cem pessoas, Miracapillo reforçou a necessidade de participação da igreja na política.

Analistas veem conflito em metas federais

Analistas consideram que as principais metas econômicas do governo para 2012 são incompatíveis. O Planalto quer elevar o crescimento e ao mesmo tempo trazer a inflação para perto da meta de 4,5%. Pretende ainda acelerar investimentos e, simultaneamente, conter a alta dos gastos públicos.

A primeira missão é impossível, afirmam economistas. A segunda é muito difícil e vai depender de um forte aumento da arrecadação, o que é improvável, dizem, devido ao crescimento mais modesto esperado para este ano.

As metas para 2012 são: crescer de 4% a 5%; levar a inflação para menos de 5%; acelerar investimentos; e obter superavit primário (economia para pagar juros da dívida) de 3,1% do PIB.

O Estado de S. Paulo

Escassez de imóveis para alugar é a maior em 10 anos

A forte procura por imóveis residendais e comerciais para alugar fez a taxa de vacância recuar em 2011 para o menor nível dos últimos dez anos, e o valor do aluguel explodiu, mostram empresas do setor. Os imóveis residenciais mais procurados são apartamentos de um e dois dormitórios, cujos alugueis subiram quase 20%. No segmento comercial, áreas para escritórios no Itaim, em São Paulo, e no Leblon, Rio de Janeiro, são as mais cobiçadas. Pesquisa indica que a aluguel do metro quadrado de escritório no Rio chegou a US$ 69,40, ante US$ 62,60 em Nova York. O terceiro lugar desse ranking das regiões com aluguel comercial mais alto, à frente de Washington, também é ocupado pelo Brasil, mas pelo polo de escritórios de São Paulo, onde o metro quadrado está em US$ 60,30.

Pressionado, Bezerra dirá a Dilma que quer ficar no cargo

O ministro Fernando Bezerra Coelho (Integração) dirá a Dilma Rousseff, se a presidente questioná-lo, que prefere ficar no cargo a se candidatar a prefeito do Recife, relata Marta Salomon. Bezerra, que favoreceu Pernambuco com verbas antienchente, não acredita que será demitido - o governador Eduardo Campos (PSB-PE), aliado do Planalto, é seu padrinho político.

Redação da Fuvest tem tema político

Em faculdade na Vila Leopoldina, candidatos aguardam a segunda fase da Fuvest, cuja redação, considerada difícil por vários estudantes, teve como tema a participação dos cidadãos na política - a prova perguntava se essa participação era 'indispensável' ou 'superada'.

PM escolta 'procissão do crack'

Com o tráfico a todo vapor, restou a Polícia Militar, no primeiro fim de semana após a ocupação da cracolândia, escoltar pelas ruas do centro de São Paulo grupos de até cem pessoas, numa “procissão do crack", relata o repórter William Cardoso. Em alguns momentos de “folga" na caminhada forçada imposta pela polícia, os grupos paravam para acender os cachimbos e voltavam a andar, sem destino. “A gente só vai enxugar gelo”, admitiu um policial, que, como outros colegas, demonstrava cansaço.

O Globo

Águas de janeiro - De 75 pontes previstas para a Serra, só uma foi construída

Um ano depois da maior tragédia climática do país, que atingiu a Região Serrana, o governo do estado só reconstruiu uma das 75 pontes previstas para dez cidades do interior fluminense. Mesmo assim, ela funciona em meia pista porque a construção, em Bom Jardim, não foi totalmente concluída. O estado recebeu da União R$ 79,5 milhões para as obras, mas o vice-governador alega que o atraso foi porque as enxurradas mudaram as margens dos rios e o volume d'água sob as pontes. Técnicos do governo federal apontaram irregularidades nos projetos. A situação piorou em Cardoso Moreira, onde um dique se rompeu ontem e, no sábado, uma queda de barreira praticamente isolou a cidade.

Plano antienchente sai hoje

Depois de uma semana de chuva e pelo menos 12 mortes, cinco ministros apresentam hoje a Dilma um plano para minimizar efeitos das enchentes no Sudeste e da estiagem no Sul. O ministro Fernando Bezerra vai também se explicar sobre denúncias de favorecimento. Em Minas, voltou a chover.

Alemanha e França: ação contra crise

Em encontro hoje, em Berlim, a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, e o presidente da França, Nicolas Sarkozy, vão propor novas medidas para a Europa enfrentar a crise econômica, incluindo a disciplina orçamentária e a redução da dívida na zona do euro. O objetivo das medidas é reativar o crescimento e diminuir o desemprego entre os jovens, permitindo maior mobilidade dos trabalhadores entre os países. O primeiro-ministro do Reino Unido, David Cameron, disse que vetará um imposto europeu sobre transações financeiras, a menos que a medida seja adotada globalmente, aprofundando o confronto com Alemanha e França.

Reforma penal prevê tornar crime jogo do bicho

A Comissão Especial criada no Senado já definiu as principais propostas para a maior reforma a ser realizada no Código Penal. Entre elas, criminalizar o jogo do bicho, que hoje é considerado contravenção, tipificar o crime de terrorismo e aumentar a pena a ser cumprida em casos de crimes hediondos. Outra recomendação é aumentar as alternativas para o aborto legal.

Petrobras tem 2ª pior perda global na Bolsa

Com a crise, a Petrobras registrou no ano passado a segunda maior perda de valor de mercado do mundo: US$ 72 bilhões. Caiu duas posições, para 5º lugar, entre as maiores petroleiras. Analistas se dividem sobre a recuperação das ações este ano.

Correio Braziliense

Megassalários dividem o governo

O pagamento de contracheques a servidores do primeiro e segundo escalões acima do limite constitucional, graças à participação em conselhos administrativos e fiscais de empresas estatais e privadas, tem encontrado oposição dentro do próprio Executivo. Quando era senadora, a ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, casada com o ministro Paulo Bernardo, um dos beneficiados com os supersalários, apresentou projeto de lei relacionando as remunerações que não podem ultrapassar o teto, entre elas os jetons. Ontem ela reafirmou sua posição.

Sob pressão: Dia D para Bezerra no Planalto

Ao lado de outros quatro ministros, o chefe da pasta de Integração Nacional se reúne com Dilma Rousseff para discutir planos contra os estragos provocados pelas chuvas. É o primeiro encontro com a presidente após as denúncias que tiraram o irmão dele da presidência interina da Codevasf.

Cobiça pelos ministérios

Além de brigar pela indicação dos ministros na reforma que Dilma fará nas próximas semanas, partidos disputam a verba para investimentos. São R$ 63 bilhões em jogo.

A favelização no Distrito Federal

Levantamento do IBGE mostra que a capital tem hoje 36 loteamentos de baixa renda, onde mais de 133 mil pessoas vivem sem os serviços básicos de infraestrutura.

Mercado ainda discrimina as mulheres

Há 16 anos, Maria Helena faz bicos para sustentar a família. Ela é sempre preterida nas seleções de trabalho. Especialistas confirmam o preconceito dos empregadores com a mão de obra feminina.

Irã em alta tensão

O presidente Ahmadinejad chegou ontem a Venezuela. Além da crise internacional, ele trava disputa interna com o aiatolá Ali Khamenei.

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!