Nos jornais: em resposta às ruas, Dilma faz pacote contra corrupção

Após manifestações, Palácio do Planalto elabora um pacote de projetos na área de transparência, informa O Estado de S. Paulo. Jornais destacam reunião de Dilma Rousseff com prefeitos e governadores

O Estado de S. Paulo

Em resposta às ruas, Dilma faz pacote contra corrupção

Depois de reabilitar "faxinados" e acomodar na Esplanada partidos que foram protagonistas de escândalos, o Planalto planeja um atalho para se sintonizar com a "voz da ruas", que cobrou mais rigor com a corrupção. Com a chancela da presidente Dilma Rousseff, a ideia é deslanchar um pacote de decretos na área da transparência e mobilizar o Congresso para aprovar o projeto de lei 6.826, que prevê multas pesadas contra empresas corruptoras.

O projeto prevê a taxação de até 20% do faturamento bruto de companhias privadas que subornarem agentes públicos, fraudarem licitações ou dificultarem investigações de agências reguladoras e do Banco Central Além disso, o projeto prevê a criação do Cadastro Nacional de Empresas Punidas (CNEP), com a relação de companhias multadas e o tipo de sanção.

A ideia que circula no Planalto é dar urgência à aprovação do projeto, que serviria para afastar do governo federal a imagem da leniência com a corrupção, levantada por manifestantes nos últimos dias.

Propostas recicladas

As principais medidas anunciadas pela pre sidente Dilma Rousseff em seu pronunciamento de sexta-feira já estão em discussão no Congresso ou foram lançadas anteriormente pelo próprio governo. A estratégia do Planalto é tentar usar os apelos das ruas por melhorias nos serviços públicos para fazer os planos avançarem.

Protestos dão fôlego à reforma política na Câmara

As manifestações que se espalharam pelas ruas do País dão ânimo aos defensores de uma revisão no sistema político brasileiro, em especial por meio de uma Assembleia Constituinte exclusiva paia debater o tema. Nos protestos, os pedidos de reforma no sistema de representação se misturaram aos cartazes defendendo transporte mais barato, melhorias na saúde e na educação, transparência nos gastos públicos e combate à corrupção.

Alvo no Rio, Cabral 'some' e impacto em 2014 preocupa

Alvo principal dos protestos no Rio, o governador Sérgio Cabral (PMDB) saiu das ruas. Há uma semana não tem agenda pública e fez apenas um pronunciamento, na sexta-feira, mesmo dia em que também rompeu o silêncio o secretário de Segurança Pública, José Mariano Beltrame, candidato dos sonhos do PMDB para ser vice na chapa de Luiz Fernando Pezão, que disputará a sucessão de Cabral em 2014.

Convocados pelo Planalto, prefeitos vão pedir ajuda

Convocados pela presidente Dilma Rousseff a discutir mobilidade urbana nas cidades brasileiras duas semanas depois que o debate sobre as tarifas do transporte sacudiu o País prefeitos das 26 capitais dirão a ela, em reunião hoje às 16h no Planalto, que não têm mais como abrir mão de receitas municipais para atender às crescentes reivindicações por melhorias nos serviços públicos, sobretudo em relação ao setor de transportes. Eles pressionarão o governo a recuar na decisão de não desistir de mais receitas e ajudar a custear o transporte coletivo nos municípios.

Ônibus e metrô voltam a custar R$ 3 em SP hoje

A redução do valor da passagem de ônibus,trens e metrô de R$ 3,20 para R$ 3 passou a valer hoje na capital. A tarifa integrada, que inclui uma passagem de metrô ou trem e uma de ônibus, voltou para R$ 4,65. A Prefeitura injetará, neste ano, R$ 1,425 bilhão para subsidiar o serviço de transporte na cidade.

Juíza diz ter discutido com investigado pela PF

A juíza Clarissa Campos Bernardo, do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) de São Paulo, declarou à Polícia" Federal que teve um pequeno desentendimento" com seu colega de corte, o juiz Paulo Hamilton Siqueira Junior - supostamente seqüestrado a um mês das eleições de 2012, segundo ele próprio contou à PF. Investigações, porém, levam a polícia a acreditar que Siqueira Junior teria inventado a história. Ele nega.

Magistrado admite volta ao local do crime

O juiz Paulo Hamilton Siqueira Junior confirmou à Polícia Federal que, de fato, retornou à cena do crime. A PF constatou que o magistrado esteve na Rua Haddock Lobo, na noite de 9 de setembro, indagando funcionários de um prédio e de uma loja da rede Fran"s Café se ali havia câmeras de circuito fechado de TV.

Cacá Diegues , cineasta

Diretor de filmes como A Grande Cidade e Bye Bye Brasil, Cacá Diegues é um dos grandes nomes do cinema brasileiro e também um pensador do País. Prestes a lançar um livro de memórias sobre o Cinema Novo, Cacá confessa-se um veterano de passeatas, como o apoio às Reformas de Base de Jango, a Passeata dos Cem Mil e a das Diretas-Já. Como muitos, ele se admira com o aspecto fragmentário das atuais manifestações e diz não saber aonde vai desaguar "um movimento que recusa se institucionalizar".

Com R$ 12 bi em caixa, Alckmin projeta cortes

Se depender da reserva orçamentária do governo estadual, a revogação da alta das tarifas dos trens do Metrô e da CPTM não terá impacto nas contas. Nos últimos dois anos, a gestão Geraldo Alckmin (PSDB) dobrou seu caixa. Em 2010, havia R$ 6 bilhões de reserva. Hoje, são R$ 12,4 bilhões em valor líquido, ou seja, com disponibilidade imediata de uso.

Dia de marcha

Uma passeata que começou com 300 manifestantes em Copacabana terminou com cerca de 2 mil pessoas perto da casa do governador do Rio, Sérgio Cabral (PMDB), no Leblon.A polícia de MG acredita que protesto marcado para Belo Horizonte na quarta-feira, dia de Brasil x Uruguai, será violento.

Snowden ‘dribla’ os EUA e recebe asilo no Equador

0 homem que delatou o programa de espionagem, do governo americano, Edward Snowden, fugiu ontem de Hong Kong, onde havia se refugiado desde maio para escapar da extradição. Com a ajuda da cúpula do site WikiLeaks, Snowden deixou o território autônomo chinês em um voo da companhia rassa Aeroflot e desembarcou horas depois, em Moscou.

O plano do ex-agente que revelou ao mundo os métodos de espionagem digital da Agência Nacional de Segurança (NSA, na sigla em inglês) dos EUA é deixar a capital russa ainda hoje rumo ao Equador, com escala em Cuba.

Brasileiro usa crédito para pagar dívida

Mudou a procura dos brasileiros por crédito. As pessoas têm buscado mais as linhas que oferecem dinheiro vivo, usado principalmente para pagar dívidas do que aquelas que vinculam o financiamento à compra de um produto. E a estrela do crédito é o consignado, cuja prestação é descontada do salário do trabalhador praticamente sem risco de calote para os bancos. O volume de aprovações do consignado cresceu 20,8% em 12 meses até abril, segundo dados do Banco Central (BC).

Cara brasileira

Em busca de mercado perdido, Avon investe em produtos sob medida para a mulher brasileira.

Folha de S. Paulo

'Voz das ruas' leva Dilma a buscar pacote com Estados

Na busca de atender a "voz das ruas" e reduzir o desgaste provocado pelas manifestações na imagem do governo e do país, a presidente Dilma reúne hoje com 27 governadores e 26 prefeitos de capitais para tentar fechar um pacote de medidas nas áreas da saúde, educação, mobilidade urbana e transparência.

Antes do encontro, ela deve receber lideranças do MPL (Movimento Passe Livre), que deflagrou a onda de protestos pelo país. Além das medidas, o governo também passou a avaliar fazer uma reforma ministerial durante o recesso do Congresso, no mês de julho --mas a decisão não foi tomada.

Grupo faz reunião e reforça campanha pela tarifa zero

O MPL (Movimento Passe Livre) começou a semana com reuniões públicas para esclarecer o que é o grupo, sua pauta e reforçar a campanha de coleta de assinaturas para um projeto de lei que prevê a implantação do transporte gratuito em São Paulo.

O projeto precisa ter o apoio de 5% do eleitorado da cidade antes de ser apresentado na Câmara de Vereadores, o que equivale a cerca de 430 mil assinaturas.

Partido deixou de ser um instrumento de mobilização

Partido político "virou coisa de eleição" e "deixou de ser instrumento de mobilização das ruas", constata Lindbergh Farias, ex-líder dos caras-pintadas que em 1992 ajudou a pressionar pelo impeachment do então presidente Fernando Collor.

Há dez anos no poder, o PT e outras siglas de esquerda experimentam "um afastamento" das demandas da sociedade, "principalmente desse contato com a juventude", afirma Lindbergh em entrevista à Folha e ao UOL. "Acho que houve um descolamento da vida das pessoas".

Prefeitos querem solução para transporte urbano

No encontro de hoje, a presidente Dilma Rousseff receberá os 26 prefeitos das capitais para discutir soluções para a mobilidade urbana. Antes da reunião, marcada para as 16h, no Palácio do Planalto, eles se encontrarão para definir propostas que serão levadas a Dilma. O presidente da Frente Nacional de Prefeitos, José Fortunati (PDT), de Porto Alegre, diz que a meta é apresentar apenas ideias de consenso.

Fux não dá crédito ao usar livro, diz advogado à Justiça

Um advogado pediu na Justiça que o ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Luiz Fux não utilize "sem os devidos créditos" trechos de um livro assinado por ele e pelo jurista Theotonio Negrão (1917-2003).

José Roberto Ferreira Gouvêa afirma que o juiz praticou "contrafação" - reprodução não autorizada de uma obra. A notificação foi protocolada na Justiça do Distrito Federal em 2010, quando Fux ainda era ministro do STJ (Superior Tribunal de Justiça).

Dilma trava novas unidades ambientais

O governo Dilma Rousseff travou a criação de UCs (Unidades de Conservação), uma das principais ferramentas públicas para a proteção do meio ambiente do país.

Em dois anos e meio de gestão, Dilma congelou uma política largamente usada por Fernando Henrique Cardoso e Lula e criou só duas áreas federais protegidas, o número mais baixo em cerca de 20 anos.

Ministério nega se opor a novas áreas e defende procedimento

O Ministério do Meio Ambiente negou que o governo tenha travado a criação de UCs e defendeu o procedimento adotado pelo governo. "Não existe trava. O ministério e o ICMBio [Instituto Chico Mendes] vêm revendo as práticas adotadas no passado. Esses procedimentos visam basicamente ao aprimoramento das informações técnicas e legais que fundamentam a proposição das áreas protegidas", informou.

Já em Moscou, delator da CIA solicita asilo ao Equador

Edward Snowden, o ex-técnico da CIA que vazou para a imprensa informações sobre um esquema de monitoramento de telefones e internet praticado pelo governo americano, viajou ontem para Moscou, num voo comercial, a partir de Hong Kong, onde se instalara desde maio.

Numa odisseia digna de agente secreto, o fugitivo não entraria oficialmente em território russo; apenas aguardaria no aeroporto por algumas horas para depois rumar ao Equador, país ao qual solicitou asilo político.

Índios obtêm suspensão de estudo de usinas

O governo federal suspendeu todos os estudos para a construção de usinas hidrelétricas na bacia do rio Tapajós, na Amazônia, e vai se reunir com indígenas, em data ainda indefinida, para deliberar os parâmetros da consulta que será feita com eles sobre o assunto.

Duas funcionárias da Funai foram enviadas para apresentar a proposta aos índios da etnia mundurucu em Jacareacanga, cidade paraense na divisa com Amazonas e Mato Grosso, após três biólogos serem capturados pelos índios na sexta-feira.

Consórcio de BCs pede mais austeridade e mais reformas

Após seguidos anos de esforços para combater os efeitos da crise de 2008, chegou a hora de os bancos centrais pararem de tentar estimular a economia e voltarem a focar o combate à inflação. A avaliação é do BIS, o consórcio dos principais BCs do mundo, com base na Suíça.

Agora, adverte a instituição, é o momento de enfrentar outro desafio: o desmonte das políticas de estímulo, como baixos juros e programas de compra de ativos, que ajudaram a irrigar os mercados com dinheiro.

Mandela está em estado 'crítico', diz África do Sul

O ex-presidente sul-africano Nelson Mandela, 94, está em "estado crítico". A informação foi divulgada ontem pelo governo sul-africano, por meio do Twitter. O presidente Jacob Zuma disse que os médicos estão fazendo "o possível" pelo líder e pediu aos cidadãos do país que rezem por Mandela "nesses tempos difíceis".

O Globo

Dilma discute plano de ação com governadores

Dentro da estratégia do governo federal de dividir responsabilidades e acalmar os protestos que avançam pelo país, a presidente Dilma Rousseff convocou para uma reunião hoje à tarde governadores e prefeitos de capitais, com o objetivo de definir uma linha de ação conjunta para melhorar os serviços públicos. Dilma chegará ao encontro com propostas recicladas e ouvirá muitas cobranças de governadores e prefeitos, que reclamam do não cumprimento de promessas da União, especialmente da falta de investimento federal em mobilidade urbana.

A pauta principal será Plano de Mobilidade Urbana, o que é considerado pouco pelos gestores estaduais e municipais, que vão para o encontro com pautas específicas e dissociadas das reivindicações das ruas: abordam desde problemas de caixa provocados pelo baixo crescimento econômico, até uma Constituinte para fazer a reforma política, pauta do PT.

Entidades cobram reforma política

No embalo das manifestações promovidas por grupos não organizados da sociedade, a Ordem dos Advogados do Brasil e a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) lançam, a partir das 10h de hoje, na sede da OAB, uma campanha de coleta de assinaturas para pressionar o Congresso a votar parte das reivindicações identificadas nos protestos que se espalharam pelo país nas duas últimas semanas. A ideia é obter pelo menos 1,2 milhão de assinaturas favoráveis a um projeto de reforma política batizado de Eleições Limpas, uma medida complementar à Lei da Ficha Limpa.

Pelo país, protestos pacíficos em pelo menos 20 cidades

Manifestantes fecharam ontem à tarde em Fortaleza, por quase duas horas, o acesso ao Aeroporto Internacional Pinto Martins. O bloqueio da Avenida Senador Carlos Jereissati ocorreu após um protesto que reuniu aproximadamente mil pessoas. A via foi fechada por um grupo de cerca de 50 pessoas. Os manifestantes passaram próximo à Arena Castelão, onde a Espanha enfrentava a Nigéria pela Copa da Confederações.

Na Bahia, OAB acusa a polícia de agressão

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), seção Bahia, acusou ontem a Polícia Militar do estado de ter agredido manifestantes que protestavam pacificamente no último sábado em Salvador. Trinta pessoas foram detidas na capital baiana, mas já estão em liberdade. Em Belo Horizonte, Minas Gerais, a PM informou que 32 pessoas foram detidas durante o protesto contra os gastos com a Copa do Mundo, com 65 mil participantes. A polícia mineira afirmou também que já identificou outros 30 suspeitos de vandalismo na cidade e espera outro confronto na próxima quarta-feira próximo ao estádio do Mineirão, onde jogam Brasil e Uruguai pela Copa das Confederações.

Justiça nega prisão de acusado de vandalismo

A Justiça negou ontem o pedido de prisão temporária do administrador de empresas Gabriel Campos Pessoa de Mello, de 29 anos, por envolvimento na confusão que marcou o início dos confrontos e atos de vandalismo na noite de quinta-feira, em frente ao prédio da Prefeitura do Rio. A detenção foi solicitada pelo delegado adjunto da 5ª DP (Gomes Freire), Antônio Bonfim. Esta é a sexta vez, desde quarta-feira, que o judiciário diz não a um pedido de prisão temporária de acusados de vandalismo.

À espera de Cabral

Ao lado das barracas montadas próximo à casa do governador do Rio, Sérgio Cabral, os manifestantes trocam experiências e mostram como a onda de protestos, que acontece país afora, é formada por gente das mais diversas origens. Instalado desde a última sexta-feira no cruzamento da Avenida Delfim Moreira e Aristides Espíndola, na Praia do Leblon, o grupo de cerca de 30 manifestantes, batizado de "Fecha Delfim Moreira", promete não sair do local e, assim, complicar o trânsito no bairro até conversar com Cabral. Enquanto aguarda, como ninguém é de ferro, a turma aproveita para ter alguns momentos de lazer, entre eles, tocar violão.

No Rio, atos tomam orla da Zona Sul

A manifestação que saiu do posto 4, em Copacabana, na tarde de ontem, e terminou na porta do governador Sérgio Cabral, na esquina da Avenida Delfim Moreira com a Rua Aristides Espínola, chegou a reunir cerca de quatro mil pessoas segundo estimativas dadas pelo comandante Cláudio Costa. A passeata começou por volta das 16h e foi organizada no Facebook pelo movimento "Dia do Basta" e pelo Ministério Público. Na concentração, outros dois grupos integraram o protesto: a União Contra a Corrupção (UCC) e o "Mexeu com o Brasil, Mexeu Comigo", que se diz de extrema direita. Por causa de mais um dia de protestos, o shopping RioSul não abriu as portas ontem.

'Ato brincante' reúne pais e filhos no Aterro do Flamengo

Como as crianças são o futuro de uma nação, nada mais sensato que tenham aulas de cidadania logo na infância. Foi com esse objetivo que dezenas de crianças, acompanhadas dos pais, participaram, na manhã de ontem, do "Ato brincante", no Aterro do Flamengo. O evento reuniu cerca de 200 manifestantes, muitos mirins, que pintaram cartazes, faixas e os rostos em protesto contra a corrupção. A iniciativa, convocada por meio das redes sociais, também se repetiu em diversas cidades do país, como São Paulo, Brasília, Juiz de Fora e Florianópolis.

Atos em São Paulo terão pautas distintas

As manifestações em São Paulo se partirão em duas nesta semana: uma Avenida Paulista com pauta anticorrupção, e outra na periferia, contra a violência policial e por melhorias na Saúde e Educação. Ontem, o Movimento Passe Livre (MPL), que deu origem às manifestações, decidiu que apoiará os atos na periferia, mas ficará de fora do evento na Paulista, que criticará a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 37, que reduz o poder de investigação do Ministério Público.

Pulverização de protestos toma conta do Facebook

A pulverização de manifestações e reivindicações marca a atual fase dos protestos que tomaram as ruas do país nas últimas semanas. Pelas redes sociais, grupos aproveitam a mobilização iniciada pelo Movimento Passe Livre (MPL) para colocar em evidência suas agendas políticas. Em alguns casos, há até quem tente pegar carona no sucesso do MPL criando, no Facebook e no Twitter, páginas clonadas que propagam bandeiras opostas às reivindicações surgidas inicialmente com o MPL. Estas novas páginas se apropriam das mesmas fotos de identificação, e, quando não utilizam o mesmo nome, se apresentam com nomes similares.

Redes permitiram agendas fora da política tradicional

O enfraquecimento dos caminhos tradicionais de diálogo entre o poder público e a sociedade civil organizada é apontada por especialistas como um dos fatores para o fortalecimento das rede sociais como canal de mobilização e manifestação da sociedade. Entre os novos movimentos sociais, o sentimento é que as redes possibilitaram o levantamento de pautas fora da agenda política tradicional.

'Seria bom ter mais recursos para o ensino, mas é preciso melhorar a gestão'

É um dos grandes desafios do nosso país. De fato, o crescimento da economia, a entrada de grande parcela da população numa faixa de consumo, gerando novas demandas, sobretudo em áreas públicas, na saúde e na educação, cria a necessidade de investimentos pesados na infraestrutura. Todas essas demandas não encontraram no corpo dos educadores quantidade e qualidade suficientes para atender às necessidades do país. É uma crise séria, importante, e precisa ser enfrentada. Nossos gestores públicos já entenderam isso, porque é um problema que afeta a todos. E nós precisamos ter uma grande agenda de melhorias na educação para enfrentar esses problemas.

Snowden sai de Hong Kong para a Rússia

O ex-agente da CIA Edward Snowden — procurado pelos EUA por expor um programa de espionagem americano — deixou seu refúgio em Hong Kong, que rejeitou um pedido para sua detenção. Ele pegou um voo para Moscou e pediu asilo ao Equador. Snowden deve continuar sua viagem hoje. Os EUA protestaram e pediram que a viagem seja adiada.

Moradores voltam a áreas de risco

Em Nova Fríburgo, moradores de áreas de risco que tiveram de abandonar casas após as enchentes de 2011 voltaram aos imóveis condenados. Encontraram casas saqueadas:
além de móveis, foram roubadas portas, janelas e instalação elétrica. Casas
populares prometidas não foram entregues.

Crédito terá menor alta em 10 anos

Apesar do esforço do governo e dos bancos públicos para estimular a atividade econômica com o aumento da oferta de crédito para o consumo e investimentos, os financiamentos bancários patinam e devem fechar 2013 com a menor taxa de expansão em dez anos. De janeiro a abril, o volume de empréstimos desembolsados pelos bancos públicos cresceu 6,3%, enquanto que entre os bancos privados o avanço foi de módico 1,02%, menos da metade do registrado nos quatro primeiros meses de 2012, quando a alta fora de 2,2%.

Se descontada a inflação do período, de 2,5%, a concessão de crédito encolheu nas instituições privadas. Os dados são do Banco Central, que amanhã divulga o relatório de crédito relativo a maio, que, segundo os especialistas, deve confirmar a perda de fôlego dos financiamentos.

Correio Braziliense

Nova onda de protestos na última semana dos jogos

De olho nas grandes manifestações previstas para a próxima quarta-feira, a presidente Dilma Rousseff encontra-se hoje com governadores e prefeitos de várias cidades brasileiras e recebe líderes do Movimento Passe Livre. A expectativa é de que se repitam, em tamanho, em confrontos e em atos de vandalismo, as marchas da semana passada.

Em Brasília, organizadores das três maiores mobilizações se reuniram ontem em frente à Biblioteca Nacional para unificarem os movimentos. Em Belo Horizonte, que recebe a Seleção Brasileira para o jogo contra o Uruguai pelas semifinais da Copa das Confederações, a Polícia Militar teme o agravamento da violência do último sábado.

De volta ao futuro

Após uma semana com milhares de pessoas tomando as ruas em atos que acabaram em conflito com a polícia por causa de uma minoria, a maioria das manifestações de ontem foi totalmente pacífica e com a presença maciça de crianças. "Eu sou o futuro", exibiam, em camisetas e cartazes, meninas e meninos com média de 3 anos de idade, evidenciando como a onda de protestos no país atraiu famílias inteiras. Os pequenos foram protagonistas em Brasília, no Rio de Janeiro, onde o evento foi batizado de Rio Brincante, e em Porto Alegre, com a Marcha das Crianças.

Ativista desde criancinha

Recebidas com bolhas de sabão, dezenas de crianças ocuparam o gramado do Congresso Nacional na manhã de ontem. Acompanhados por pais e avós, meninos e meninas levantaram cartazes que pediam mais educação, saúde e espaços de lazer. Organizada pela advogada Raquel Fuzaro, 41 anos, que usou as redes sociais, a mobilização teve como objetivo mostrar que esses pequenos cidadãos e suas famílias também fazem parte do momento de reivindicações que se disseminou pelo país nas últimas semanas. No entanto, esse é apenas um ensaio para o grande do próximo domingo, dia 30. Programada para acontecer no Parque da Cidade, a Marcha das Crianças deve reunir um público ainda maior, fazendo valer os dizeres nas placas levantadas pela criançada: "Quem não chora não mama".

Cartazes em alta nas ruas

A criatividade dos cartazes que os manifestantes levam às ruas por todo o país tem chamado a atenção durante os protestos e, principalmente, nas redes sociais. A irreverência é um dos pontos fortes das mensagens que têm os políticos como principais alvos. Além dos gritos de ordem que foram incorporados de cânticos das torcidas em arquibancadas de estádios de futebol, camisas e bandeiras também são utilizadas com frequência por ativistas nos atos que reúnem milhares de pessoas nas cidades espalhadas pelo país. Nem a Fifa, que também é bombardeada por críticas dos manifestantes, escapa. A proibição de intervenções políticas durante os jogos dentro das arenas da Copa das Confederações está sendo burlada por torcedores brasileiros: tudo registrado nas lentes de fotógrafos e câmeras de tevê.

Defesa de novas regras

As entidades que lideraram o movimento que resultou na criação da Lei da Ficha Limpa, como a OAB e o Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE), lançam hoje, em Brasília, a campanha Eleições Limpas — A Reforma Política por Iniciativa Popular. O juiz eleitoral Márlon Reis, um dos integrantes do MCCE, avalia que a indignação dos cidadãos com os sistemas político e eleitoral poderá ajudar no recolhimento das 1,5 milhão de assinaturas necessárias para que o projeto seja encaminhado ao Congresso. Entre as principais mudanças propostas estão a proibição de doações eleitorais por parte de empresas privadas e a votação em dois turnos para cargos no Legislativo (primeiro o eleitor escolheria o partido e só depois os candidatos).

Cobrança no Congresso

A pressão das ruas também atinge o Congresso. E os parlamentares se preparam para votar alguns projetos na tentativa de dar respostas ao clamor popular em ebulição nas cidades brasileiras. De transporte público à cobrança para ao menos adiar a votação da Proposta de Emenda Constitucional nº 37, os assuntos mais citados nos cartazes vão, de alguma forma, ser discutidos no Congresso.

Alvo de críticas em diversos protestos, a PEC 37, que restringe o poder de investigação do Ministério Público, estava marcada para ser votada na quarta-feira, dia de várias manifestações pelo país, mas os planos já mudaram. As entidades que representam policiais federais e os procuradores — lados diretamente interessados no assunto — marcaram uma entrevista coletiva para hoje em que devem demonstrar a tentativa de chegar a um texto consensual.

Índios libertam os três biólogos

Os três biólogos sequestrados por índios mundurukus na última sexta-feira, na comunidade de Mamãe-Anã, no município de Jacareacanga, no Pará, estão em liberdade. Em troca da soltura de Djalma Nóbrega, Luiz Peixoto e José Guimarães, os índios exigiram a imediata suspensão dos estudos de impacto ambiental para a implantação de usinas hidrelétricas no Rio Tapajós. A negociação, por parte do governo, foi conduzida por duas funcionárias da Fundação Nacional do Índio (Funai), embora a Secretaria-Geral da Presidência da República (SG-PR) também tenha enviado servidores ao Pará.

Snowden desembarca em Moscou

O ex-técnico de inteligência que revelou a espionagem virtual e telefônica do governo americano conseguiu deixar Hong Kong, voou para a Rússia, pediu asilo ao Equador, mas pode estar a caminho da Venezuela. A fuga e a acolhida russa deixaram indignadas as autoridades norte-americanas.

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!