Líder do PMDB responde sobre assiduidade

Henrique Eduardo Alves argumenta que "suas responsabilidades de líder" é que tornam impossível sua presença em todas as sessões deliberativas

O líder do PMDB na Câmara, Henrique Eduardo Alves (RN), enviou nota à redação por meio da qual explica as 28 ausências entre 55 sessões deliberativas realizadas no primeiro semestre em plenário. O número foi veiculado hoje (quinta, 28) em levantamento exclusivo feito pelo Congresso em Foco. Das faltas do peemedebista, 27 foram justificadas junto à Mesa Diretora e 1 não teve qualquer motivo alegado. Segundo o deputado, não é possível comparecer a todas as sessões de votação com as responsabilidades que tem como líder da segunda maior bancada da Câmara, com 79 membros.

A nota (confira a íntegra abaixo) enumera setes itens que, segundo Henrique Alves, tornam quase inviável o comparecimento à totalidade das sessões deliberativas, quando é votada boa parte das leis do país. “Essa atuação na liderança do PMDB tem merecido a atenção da imprensa nacional, seja para o elogio ou para a crítica. O Dieese (Departamento Intersindical de Estudos Sócio Econômicos) tem sempre nos colocado, nos últimos anos, como um parlamentar atuante e influente. Recebo isso com alegria e consciente da minha responsabilidade”, observa o parlamentar potiguar.

Confira íntegra da nota de Henrique Eduardo Alves:

“Resposta do líder do PMDB, deputado Henrique Eduardo Alves a respeito da assiduidade nas sessões da Câmara Federal:

1. O Regimento Interno da Câmara Federal permite múltiplas funções para a atuação da liderança de bancada. No caso do PMDB, há uma bancada de 18 vice-líderes que se revezam em plenário, representando o partido e assumindo responsabilidades em substituição ao líder. Mas sempre consultam a liderança para saber qual o encaminhamento a ser dado e sobre o voto do partido. Esteja onde o líder estiver. Não há uma só votação que as decisões do Partido não tenham sido discutidas com entre a liderança e a bancada;

2. O líder também atua nos Ministérios, nos demais órgãos e nas diversas instâncias governamentais, levando as demandas de 79 deputados do PMDB, no interesse de projetos para seus estados e municípios;

3. O deputado precisa também incluir em sua pauta diária a sua própria ação parlamentar, na defesa dos projetos para seu Estado, atendendo Prefeituras e o próprio Governo do Estado;

4. Discutir relatórios e medidas provisórias, antes mesmo que cheguem ao plenário para votação, além de rotineiras reuniões de trabalho com as lideranças do Governo, estão entre as tarefas diárias da liderança;

5. Também atua em reuniões e providências institucionais até mesmo fora de Brasília ou em atos preparatórios que definem decisões de Governo;

6. A atividade da liderança ainda exige participações em comissões técnicas e discussões em plenário, na relatoria de projetos importantes (como os projetos do Pré-sal e Minha Casa Minha Vida);

7. Essa atuação na liderança do PMDB tem merecido a atenção da imprensa nacional, seja para o elogio ou para a crítica. O DIEESE tem sempre nos colocado, nos últimos anos, como um parlamentar atuante e influente. Recebo isso com alegria e consciente da minha responsabilidade.”

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!