Nos jornais: frase de Dilma sobre inflação afeta mercados financeiros

Reduzir crescimento para conter inflação é “política superada”, disse ela. Presidente vê manipulação em críticas

O ESTADO DE S. PAULO

 

Dilma vê manipulação em crítica à fala sobre inflação

A declaração da presidente Dilma Rousseff, na reunião dos Brics, em Durban, de que reduzir o crescimento econômico para conter a inflação é “uma política superada” provocou nervosismo no mercado financeiro, levando a uma pressão de baixa dos juros futuros. O governo passou o dia tentando neutralizar as expectativas negativas geradas pelo comentário. O presidente do BC, Alexandre Tombini, buscou o Broadcast, serviço de informação em tempo real da Agência Estado, e disse que a interpretação de que o governo pretendia ser tolerante com a inflação estava equivocada. Ele ressaltou que fazia o esclarecimento a pedido de Dilma. Mais tarde, a presidente chamou os jornalistas para se queixar de que houve “manipulação” de suas declarações, versão que também constava do blog do Palácio do Planalto.

Uma declaração da presidente Dilma Rousseff ontem de manhã sobre a inflação provocou nervosismo no mercado financeiro e levou o governo a passar o dia tentando reverter as expectativas negativas geradas pelo comentário, No inicio da tarde, o presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, buscou o Broadcast, serviço de informação em tempo real da Agência Estado, para dar esclarecimentos. Horas depois, o Palácio do Planalto afirmou em seu blog que a declaração de Dilma havia sido manipulada pelo mercado. Em seguida, a presidente, irritada, chamou os jornalistas para negar a interpretação dada às suas declarações e se queixar da "manipulação".

Num momento em que o mercado aposta na elevação de juros e alguns economistas defendem a redução do emprego para conter a inflação, a presidente Dilma surpreendeu ao afirmar que "é uma política superada" adotar medidas que reduzam o crescimento econômico para forçar queda dos preços.

"Não concordo com políticas de combate à inflação que olhem a redução do crescimento econômico", disse. E, mais adiante, voltou à carga. "(...) esse receituário que quer matar o doente em vez de curar a doença, ele é complicado, você entende? Eu vou acabar com o crescimento do País."

Análise: Celso Ming: Desmentidos

Talvez a questão mais relevante seja o fato de que Dilma tem dado motivos para que agentes econômicos tendam a achá-la mais tolerante com a inflação.

CNJ eleva gastos, mas tem problemas ‘de tribunais'

Criado para combater vícios da magistratura e melhorar a gestão do Judiciário, o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) começa a reproduzir os mesmos problemas dos tribunais brasileiros. São processos que andam a passos lentos, pressões políticas, inchaço da máquina, aumento de gastos com passagens aéreas, contas de telefone e diárias, além de pequenos, mas simbólicos, malfeitos, como o uso de carro oficial por ex-conselheiros.

Dados pedidos pelo Estado com base na Lei de Acesso à Informação mostram, por exemplo, aumentos progressivos nos gastos com diárias, passagens, auxílio-moradia e ajuda de custo, como pagamento de despesas de mudança. Com pagamentos de mudanças de servidores ou juízes convocados para trabalhar em Brasília, o CNJ gastou mais de R$ 1 milhão em 2012.

Com auxílio-moradia para servidores convocados ou juízes auxiliares, as despesas subiram de R$ 355 mil em 2008 para R$ 900 mil no ano passado. Em valores corrigidos pelo índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) acumulado no período, o gasto mais do que dobrou.

Ajuda de custo supera R$ 60 mil

Cada juiz do CNJ recebe ajuda de custo que pode superar R$ 60 mil para a mudança para Brasília e tem direito a duas passagens aéreas por mês.

Por Dilma, Lula sugere abrir mão de candidaturas

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse que o PT deve ter a reeleição de Dilma Rousseff como "prioridade" em 2014 e que o partido pode abrir mão de candidaturas a governador para apoiar chapas do PMDB - principal aliado dos petistas no governo federal.

Em entrevista ao jornal Valor Econômico, Lula afirmou que o partido deverá fazer concessões a outras siglas para garantir uma aliança forte para Dilma. "Nós temos que ter sempre como prioridade o projeto nacional. Ou seja: a primeira coisa é a eleição da Dilma. Não podemos trancar nossa aliança com o PMDB", disse Lula. O ex-presidente, no entanto, deu sinais de que o PT deve manter candidaturas em Estados onde o PMDB também tem projetos eleitorais, como Rio e São Paulo.

No Rio, Lula afirmou que o senador Lindbergh Farias (PT) "pode ser candidato sem causar problema" à aliança nacional com o PMDB - que deve lançar o vice-governador Luiz Fernando Pezão. ""Acho que o Rio vai ter três ou quatro candidaturas e ele (Lindbergh), certamente, vai ser uma candidatura forte", disse.

Feliciano manda prender ativista

O presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara, pastor Marco Feliciano (PSC-SP), teve mais um dia tumultuado ontem. Em meio a pedidos para que deixasse o cargo, ele mandou Polícia Legislativa prender um manifestante que o acusou de racismo, trocou a audiência de sala e restringiu a entrada do público. Seguranças chegaram a prender outro ativista, depois liberado. Diferentemente da semana passada, quando saiu em 8 minutos, Feliciano ficou durante toda a audiência e discursou em defesa da condução dos trabalhos. “Democracia é isso. Talvez seja preciso tomar medidas.” Ativistas entregaram petição online com mais de 455 mil assinaturas pedindo a saída de Feliciano. Ele reafirmou que não renuncia “de jeito nenhum”.

Religiosos podem contestar leis no Supremo, diz CCJ

Uma proposta aprovada ontem na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara garante às entidades religiosas o poder de contestar a constitucionalidade de leis no Supremo Tribunal Federal (STF). A proposta de emenda à Constituição é de autoria do deputado João Campos (PSDB-GO), que integra abancada evangélica. Campos argumenta, no texto da proposta, que as associações religiosas de caráter nacional deveriam ter o direito de contestar leis que, eventualmente, interfiram na liberdade religiosa e de culto.

No passado, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) não pôde contestar a constitucionalidade das pesquisas com células-tronco embrionárias, liberadas pela Lei de Biossegurança. A CNBB só pode atuar no caso entregando memoriais e sustentando seus argumentos ao longo do julgamento. Coube ao então procurador-geral da República, Cláudio Fonteles, que é católico, contestar a lei.

Esportes: ‘A CBF é um cartel’

Em entrevista a Silvio Barsetti, o deputado Romário (PSC-RJ) fez duras críticas à cúpula da CBF e chamou o vice-presidente Marco Polo Del Nero de chefe do “cartel" da entidade. Romário diz que o Brasil nunca será potência olímpica e que a interdição do Engenhão retrata o legado do Pan.

Haddad quer saúde privada na periferia

O prefeito Fernando Haddad (PT) quer levar postos de saúde privados à periferia de SP. A ideia é incentivar empresas do setor a instalar leitos, laboratórios e consultórios.

FHC oficializa sua candidatura à ABL

Ditador sírio pede ajuda ao Brics

O ditador sírio, Bashar Assad, enviou carta ao Brics com pedido de apoio contra “terroristas” e ingerência dos EUA. O Brics evitou atribuir a ele culpa por crise.

Índice de falhas mais que dobra no Metrô de SP

Dados obtidos pelo Estado mostram que o número de falhas no Metrô de São Paulo mais do que dobrou em três anos. Em 2010, houve 1,51 incidente notável a cada milhão de quilômetros percorridos. Em 2012, foram 3,31. Com 4,14 interferências, a Linha 3-Vermelha (Itaquera-Barra Funda), a mais lotada, foi a que teve o maior crescimento de falhas. Há três anos, o índice era de 1,2. Ontem, um incidente afetou a circulação dos trens no ramal.

Mala perdida terá indenização na hora

A Anac decidiu que as empresas terão de pagar R$ 300, na hora, para quem tiver bagagem extraviada em qualquer voo. O prazo para que a mala seja localizada caiu de 30 para sete dias.

‘Ciberataque’ gigante deixa internet lenta

 

 

FOLHA DE S.PAULO

 

Frase de Dilma sobre a inflação afeta mercado

A presidente Dilma Rousseff disse ontem não concordar com políticas que reduzem o crescimento para combater a inflação. A declaração foi feita em reunião dos Brics (grupo composto por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) e levou o mercado financeiro a reduzir apostas de que o Banco Central subirá os juros para controlar as recentes pressões inflacionárias.

A presidente afirmou na África do Sul que "esse receituário que quer matar o doente em vez de acabar com a doença é meio complicado. Vou acabar com o crescimento? Isso está datado. É uma política superada".

Embora Dilma tenha dito também que o governo está atento à inflação, o mercado interpretou seu discurso como indicação de que ela seria contra uma elevação de juros para conter a alta dos preços porque essa medida brecaria o crescimento.

Também causou desconforto a afirmação de Dilma de que, "nas questões específicas sobre inflação, eu deixo para ser falado pelo ministro da Fazenda", pois o BC tem autonomia operacional para decidir a taxa de juros com base na tendência dos preços.

Passageiro que tiver bagagem extraviada vai receber R$ 301

A empresa aérea que extraviar a mala de um passageiro que esteja fora de sua cidade terá de pagar, na hora, ajuda de custo de R$ 301, segundo nova regra da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) que deve começar a vigorar ainda neste ano

Projeto quer simplificar FGTS para domésticas

Um projeto de lei na Câmara pretende simplificar o recolhimento do fundo de garantia de empregados domésticos, que passou a ser obrigatório com a aprovação da lei que amplia os direitos desses trabalhadores

Viagens são para vender produtos do Brasil, diz Lula

O ex-presidente Lula (PT) declarou que as viagens que fez à América Latina e à África, bancadas por empresas privadas, servem para "vender" os produtos brasileiros

Palmeiras toma 6 gols só no 1º tempo e perde do Mirassol

No pior primeiro tempo de sua história, o Palmeiras tomou seis gols em 46 minutos e perdeu do Mirassol por 6 a 2. Foi a pior goleada do time desde a derrota por 6 a 0 para o Coritiba, em 2011. O técnico Gilson Kleina afirmou que não pedirá demissão

Chamado de racista, pastor manda prender manifestante

A Câmara viveu mais um dia de protestos, com agressões e a detenção de dois manifestantes contrários ao deputado e pastor Marco Feliciano (PSC-SP)

Lula diz que viagens ao exterior servem para 'vender' o país

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou que suas viagens a países da América Latina e da África pagas por empresas privadas servem para "vender" os produtos brasileiros.

"Se alguém tiver um produto brasileiro e tiver vergonha de vender, me dê que eu vendo. Não tenho nenhuma vergonha de continuar fazendo isso. Se for preciso vender carne, linguiça, carvão, faço com maior prazer. Só não me peça para falar mal do Brasil", afirmou Lula, em entrevista ao jornal "Valor Econômico" publicada ontem.

Na semana passada, a Folha revelou que 13 de suas 30 viagens ao exterior depois de sair do cargo foram bancadas por empreiteiras com interesses nos países visitados.

Lula disse viajar para "vender confiança" e que "tem pouca gente com autoridade de ganhar dinheiro" como ele, "em função do governo bem-sucedido" no país.

PSDB 'importa' estrategista de Obama para ajudar Aécio

O PSDB vai trazer um dos estrategistas da campanha do presidente dos EUA, Barack Obama, para ajudar a construir a candidatura do senador Aécio Neves à Presidência da República em 2014.

A costura para trazer David Axelrod, um ex-alto funcionário da Casa Branca e conselheiro político das campanhas presidenciais de Obama, foi feita pelo novo marqueteiro do tucano, Renato Pereira, com ajuda do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso -que tem proximidade com o ex-presidente norte-americano Bill Clinton.

Segundo a Folha apurou, o partido também fez contato com Antonio Villaraigosa, prefeito de Los Angeles e uma das estrelas em ascensão do Partido Democrata dos EUA.

Alvo de acusações, Lindbergh diz que fará oposição no Rio

Após a divulgação de inquérito no qual é investigado por suposta cobrança de propina quando esteve à frente da Prefeitura de Nova Iguaçu, o senador Lindbergh Farias (PT) afirmou que se tornou opositor do governador do Rio, Sérgio Cabral (PMDB). O desembarque da gestão peemedebista, porém, tem resistência dentro do PT.

De acordo com a revista "Época", que revelou detalhes da investigação, o material faz parte de dossiê produzido pelo PMDB do Rio contra o petista, pré-candidato ao governo do Estado.

A sigla, que defende a candidatura do vice-governador Luiz Fernando Pezão (PMDB), nega ter reunido os documentos. Cabral também afirmou não estar envolvido na divulgação do caso.

No Congresso em Foco: Lindberg é campeão de inquéritos no STF

STJ nega pedido de liberdade de ex-juiz Nicolau

O ministro Og Fernandes, do STJ (Superior Tribunal de Justiça), negou ontem um pedido de liberdade apresentado pela defesa do ex-juiz Nicolau dos Santos Neto.

Aos 84 anos, ele foi reconduzido na segunda à carceragem da Polícia Federal em São Paulo após o TRF (Tribunal Regional Federal) da 3ª Região revogar a prisão domiciliar a que tinha direito.

No habeas corpus, a defesa do ex-juiz pedia o restabelecimento de sua prisão domiciliar. A defesa ainda alega que ele já cumpriu mais de um quinto da pena, o que lhe daria direito ao benefício.

 

 

 

O GLOBO

 

Sem prazo para o Engenhão: Rio só terá grande estádio com Maracanã

O torcedor carioca ficará sem frequentar um grande estádio até a reabertura do Maracanã, em 2 de junho, no amistoso entre Brasil e Inglaterra, às vésperas da Copa das Confederações. Até lá, os clássicos e as partidas decisivas do Estadual, incluindo a final, que pela primeira vez na história será disputada fora do Rio, serão jogados no Estádio Raúlino de Oliveira, em Volta Redonda. O Engenhão ficará fechado, no mínimo, entre um e dois meses, tempo estimado pelos engenheiros somente para encontrar soluções para os danos na cobertura. Segundo relatório entregue à prefeitura, o problema foi causado pelo deslocamento maior que o previsto dos arcos.

Curto-circuito: Dilma fala de inflação e juro cai

Depois de afirmar ontem que não sacrificará o crescimento econômico para conter a inflação e ver a reação do mercado, refletida em queda dos juros futuros, a presidente Dilma Rousseff disse que teve suas declarações "manipuladas" por "agentes de mercado". No encerramento da V Cúpula dos Brics (grupo que reúne Brasil, Rússia, China, Índia e África do Sul), em Durban, na África do Sul, Dilma afirmou pela manhã que "as vozes de sempre" pediam medidas de controle da inflação que implicavam a redução do crescimento econômico, mas que esse era "um receituário que quer matar o doente em vez de curar a doença". Mas, à tarde, após uma queda dos juros no mercado financeiro, ela pediu que sua assessoria reunisse os repórteres para dizer que suas declarações haviam sido manipuladas.

Dilma argumentou que um crescimento mais baixo nem sempre vem acompanhado de queda da inflação.

- Não concordo com políticas de combate à inflação que olhem a questão da redução do crescimento econômico, até porque nós temos uma contraprova dada pela realidade. Nós tivemos um baixo crescimento no ano passado e houve um aumento da inflação porque teve um choque de oferta devido à crise. Um dos fatores era externo - disse a presidente, pela manhã.

Acompanhada dos ministros Guido Mantega (Fazenda) e Fernando Pimentel (Desenvolvimento), e do presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, Dilma disse que costumava deixar as "questões específicas sobre inflação" para o ministro da Fazenda, mas lembrou medidas para conter a alta dos preços e diminuir o custo do trabalho, como a desoneração da cesta básica e da folha de pagamento, e queda na conta de luz.

Novos direitos: Doméstica: custo de demissão dobra

Com a aprovação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que igualou os direitos trabalhistas dos domésticos aos dos trabalhadores do setor privado, o custo de demissão pode mais que dobrar. Quando for promulgada, a demissão sem justa causa fará o empregador desembolsar, além do que paga hoje, a indenização de 40% sobre o saldo do FGTS. Essa exigência ainda não está valendo, depende de lei complementar.

Simulação feita para o GLOBO pela advogada Claudia Brum Mothé, do escritório Siqueira Castro, mostra que no caso de um trabalhador com salário mensal de R$ 1.000, demitido após cinco anos de trabalho, por exemplo, a demissão custa hoje R$ 1.680, considerando R$ 1.000 de aviso prévio, R$ 500 de 13º salário proporcional (supondo que a demissão ocorra no meio do ano) e mais R$ 180 devido à contribuição previdenciária (12% da parte do patrão sobre o total pago). Nessa simulação, considera-se que o empregado acabou de gozar férias, portanto, não há pagamento proporcional. Pelas novas regras, o patrão passará a pagar R$ 3.680, ou mais que o dobro (120%) do valor atual, pois terá que arcar com cerca de R$ 2.000 referentes à multa de 40% sobre o saldo do Fundo.

Reforma política do PT não criminaliza doação privada

A declaração do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva de que doações privadas para campanhas eleitorais deveriam se tornar crime inafiançável foi alvo de críticas de políticos, promotores e ONGs. A tese de Lula não foi comprada nem pelo PT. O relator da atual proposta de reforma política em discussão, deputado Henrique Fontana (PT-RS), não prevê criminalização do financiamento privado.

- Não há coerência, parece-me que (ele) está fazendo o discurso do momento - disse o promotor eleitoral Edson Rezende, que faz parte do Comitê da Reforma Política do Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral.

Bancos têm que informar Coaf sobre operações suspeitas

O Banco Central (BC) colocou em prática ontem determinações da nova Lei de Lavagem de Dinheiro, que entrou em vigor no ano passado. E ainda incorporou regras internacionais exigidas pelo Grupo de Ação Financeira contra a Lavagem de Dinheiro (Gafi). Por isso, os bancos terão de informar ao Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) não só a existência de operações que normalmente são consideradas atípicas, mas também aquelas que não se enquadram nos parâmetros, mas são consideradas suspeitas pelas instituições financeiras.

Caso um banco não se pronuncie sobre alguma suspeita, ao final do ano, o BC entenderá que ele se responsabilizou por todas as operações. Antes, não havia essa chancela da instituição financeira.

Indústria de armas pede apoio ao Planalto para desoneração do setor

O presidente da Associação Brasileira das Indústrias de Materiais de Defesa e Segurança (Abimde), Sami Youssef Hassuani, reuniu-se ontem com o presidente da República em exercício, Michel Temer, para pedir apoio do Palácio do Planalto à desoneração do setor de armas. A inclusão dessa indústria na Medida Provisória 582, que desonerava a folha de pagamento de 15 setores da economia, foi feita no Congresso por parlamentares que tiveram suas campanhas financiadas pelo setor. Segundo interlocutores da presidente Dilma Rousseff, a desoneração das armas e de outros 32 setores adicionados pelo Parlamento será vetada. Dilma tem até o dia 2 de abril para sancionar a medida.

- Da mesma maneira que foi feita a contemplação da construção civil e de vários outros setores, o nosso pleito é que o setor de defesa seja contemplado na MP 582. Disse (a Temer) que essa é uma preocupação nossa e que a gente conta com o apoio do Planalto para que o setor seja contemplado e aprovado na lei que vai ser sancionada - contou Hassuani, para quem a área de defesa está "a serviço da nação".

Feliciano parte para o ataque

Em esforço para tentar consolidar o controle da Comissão de Direitos Humanos da Câmara, o deputado Marco Feliciano (PSC-SP) mandou prender manifestante, proibiu protestos no colegiado e disse que "talvez, a boa mão de Deus" o levou à presidência do órgão. Em nova confusão, outro manifestante foi detido e um grupo tentou invadir o gabinete do parlamentar. Ontem, o PSC revidou a pressão petista para que Feliciano renuncie e acusou o PT de falso moralismo, pois mantém dois mensaleiros, condenados pelo STF, na Comissão de Constituição e Justiça.

PF apura denúncia de discriminação racial contra índios em escola do Mato Grosso do Sul

O Ministério Público Federal (MPF) de Mato Grosso do Sul solicitou à Polícia Federal a abertura de um inquérito para apurar crimes de racismo e injúria racial praticados contra alunos indígenas de uma escola estadual em Antonio João, na fronteira com o Paraguai. A PF vai começar a ouvir alunos, funcionários e o diretor da escola na próxima semana. De acordo com a denúncia, índios guaranis-caiovás da escola Pantaleão Coelho Xavier teriam sido retirados da sala de aula sob a alegação de que seriam "fedidos, sujos e pouco higiênicos".

Segundo Marciano Duarte, capitão da aldeia Campestre, os cerca de seis alunos, sendo quatro meninas, teriam sido xingados por colegas brancos de sala de aula e por isso teriam sido retirados da sala pelo diretor.

- Eles falaram que os alunos brancos os chamaram de fedidos, sujos e que tinham chulé, e por isso foram retirados da sala pelo diretor para estudar lá fora da sala de aula. O professor dava aula para os índios lá fora e ao mesmo tempo para os brancos, que ficaram na sala -afirmou Duarte.

A assembleia de Deus

Apesar do caráter laico da Casa, deputados estaduais têm usado auditório da Assembleia Legislativa do Rio para a celebração de cultos e missas.

Brasil extradita argentino acusado de tortura

O argentino Cláudio Vallejos, condenado por tortura e sequestro de pessoas durante a ditadura de seu país (1976-1983), foi transferido ontem à noite da prisão onde estava, em Lages (SC), para o Aeroporto Hercílio Luz, em Florianópolis. De lá, ele seguiria ainda na madrugada de hoje para a Argentina. A autorização para extradição foi dada pelo Supremo Tribunal Federal (STF) em setembro, mas só ontem a transferência seria concretizada.

Vallejos, de 54 anos, estava detido por estelionato desde o dia 4 de janeiro no presídio regional de Xanxerê, interior de Santa Catarina. Na ocasião, a Polícia Federal solicitou ao governo argentino informações para saber se Cláudio Vallejos era suspeito de crimes da época da ditadura em seu país, informação que foi confirmada logo depois pela Interpol.

Um dos casos em que ele teve envolvimento direto foi a prisão e o desaparecimento, em 1976, do pianista brasileiro Francisco Tenório Cerqueira Júnior, o Tenorinho, que se apresentava na capital argentina acompanhando Vinicius de Moraes. Tenorinho saiu do hotel para comprar cigarros e ir a uma farmácia, e não voltou. Seu corpo nunca foi encontrado.

EUA: Corte se inclina para gays

Manifestantes pró-casamento gay fazem um protesto diante da Suprema Corte dos EUA, em Washington. A maioria dos juízes do tribunal deu indicações ontem de que derrubará a Lei de Defesa do Casamento. A legislação define tal união como apenas entre homens e mulheres e priva casais gays dos mesmos benefícios dos heterossexuais em nível federal. Ao questionar a competência da União para legislar sobre o tema, os quatro magistrados progressistas tiveram o apoio do juiz que normalmente serve de fiel da balança nos embates com os quatro conservadores.

Ataque histórico afeta internet

Um ataque de hackers a um grupo inglês que combate spam deixou a internet lenta em várias partes do mundo. A ação é seis vezes mais agressiva que a usada para derrubar bancos. Cinco países abriram investigação: empresa holandesa é suspeita.

Transplante: Rio retoma cirurgias

O Hospital Estadual da Criança começa a fazer semana que vem transplantes de fígado e rim em pacientes infantis. O serviço entrou em colapso no ano passado, com a interrupção das cirurgias no Hospital Federal de Bonsucesso.

 

 

CORREIO BRAZILIENSE

 

Patrões de domésticas vão ter compensações

As despesas de quem tem empregados em casa vão aumentar, a partir de terça-feira, quando será promulgada a Proposta de Emenda à Constituição n° 68/2012. A nova legislação concede a esses trabalhadores direitos semelhantes aos dos assalariados da iniciativa privada. Temendo demissões, governo estuda medidas para compensar a elevação dos gastos dos empregadores. Entre elas, redução de 12% para 7% na contribuição ao INSS e a diminuição na alíquota do FGTS; hoje de 8%. Um ponto, porém, está definido: nas demissões sem justa causa, patrões ficarão livres do adicional de 10% de multa, arcarão apenas com os 40% tradicionais. Para quem já recolhe INSS, paga férias e 13°. Especialistas estimam que a elevação nos gastos será, em média, de 10%.

Dilma acusa mercado de manipulação

Declaração da presidente de que o combate à inflação não pode sacrificar o crescimento provocou queda de juros.

Até quando?

Acusado de homofobia, o deputado federal Marco Feliciano voltou a enfrentar protestos enquanto presidia a Comissão de Direitos Humanos da Câmara, Chamado de racista, ele mandou prender o manifestante, que deixou a sala gritando: "Sou gay, sou preto, sou pobre". Nos EUA, a Suprema Corte deu sinais de que reconhecerá como legal o casamento entre pessoas do mesmo sexo.

Teto da polícia no DF vai para R$ 22,8 mil

Esse é o salário de um delegado em fim de carreira após o reajuste parcelado de 15,8%. Primeiro pagamento será retroativo a março.

Reconstrução de mama pelo SUS será imediata

Mulheres submetidas a mastectomia ganham direito à reconstituição do seio no mesmo procedimento cirúrgico.

Maior ciberataque da história deixa a internet lenta

Calote ameaça concurseiros

Fundação da Solidariedade (Fundaso) anula seleção com indícios de fraude, mas não garante ressarcimento a candidatos que pagaram até RS 100 para concorrerem a uma vaga do Iceam. 0 Ministério Público e a PF investigam o caso.

Sete mil famílias mais perto da moradia legal

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!