Joice Hasselmann entra com mandado de segurança para impedir CPI da Lava Jato

A líder do Governo no Congresso, Joice Hasselmann (PSL-SP), afirmou que está entrando com um pedido de segurança para impedir a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Lava Jato. Segundo a deputada, não existiria um fato determinado para investigar o ex-juiz e hoje ministro da Justiça, Sergio Moro e os procuradores da operação.

> Deputado afirma que assinou enganado o pedido de CPI da Lava Jato

Ao menos três ações estão sendo movidas por Joice e contam com o aval de 21 deputados que desejam retirar suas assinaturas do requerimento de abertura da CPI: Uma questão de ordem sobre como as assinaturas foram coletadas; a publicação de uma nota de repúdio; e o mandado de segurança.

Segundo Joice, muitos deputados foram enganados para assinar o documento, alguns, exemplifica ela, assinaram acreditando se tratar da Reforma Tributária.

Nesta terça-feira (17), o Congresso em Foco publicou com exclusividade o caso do deputado André Abdon (PP/AP). O parlamentar afirma que foi enganado e que não recorda ter assinado o documento.

A líder da minoria, Jandira Feghali (PCdoB-RJ), rebateu às críticas e ironizou as palavras da deputada Joice, afirmando ser "um discurso muito ruim para o deputado, ele assumir uma coisa dessa [ser enganado para assinar um documento]", disse Jandira. "Eu jamais assinaria uma instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito sem ler", concluiu.

Em entrevista coletiva, Joice afirmou que as assinaturas foram captadas por "coletores informais" e publicadas em menos de 24h. Jandira rebateu no Plenário da Câmara e afirmou que fazem ao menos dois meses que as assinaturas estavam sendo coletadas e eram, segundo a líder da minoria, os próprios deputados que estavam captando estas assinaturas.

"Quando a deputada Joice diz que não percebeu, que foi enganada, como é que uma pessoa que está aqui dentro, que em tese é líder e os liderados não avisaram?",  ironizou Jandira. "Se não avisaram a ela, ela tem que ver o que está acontecendo entre ela e os liderados dela", completou.

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), declarou hoje que não terá pressa para instalar a CPI da Lava Jato. "Qualquer decisão de abrir uma CPI sobre outro poder precisa ser muito bem avaliada. Por isso que eu  não tenho pressa. Por isso que não é qualquer fato indeterminado que vai fazer eu instalar uma CPI", declarou Maia.

> Oposição pede criação de CPI da Vaza Jato

> Governistas tentam reverter assinaturas da CPI da Lava Jato

 

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!