Irmão de Geddel, Lúcio Vieira Lima concorre à vice-Presidência da Câmara

Deputado Lúcio Vieira Lima (PMDB-BA) lançou candidatura ao segundo cargo mais importante da Casa e vai concorrer com os colegas José Priante e Carlos Marun. Crise provocada pelo irmão pode atrapalhar

 

O deputado Lúcio Vieira Lima (PMDB-BA) começou a campanha para tentar se eleger primeiro vice-presidente da Câmara nas eleições internas, marcadas para o dia 2 de fevereiro. Irmão mais novo do secretário de Governo, Geddel Vieira Lima, Lúcio terá que superar a crise política na Casa provocada após a denúncia do ex-ministro da Cultura Marcelo Calero, de que foi pressionado por Geddel para liberar a construção de um prédio residencial em Salvador, em área vetada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), por estar em área tombada (leia mais).

Lúcio é pai de Afrísio Vieira Lima Neto, estagiário do escritório de advocacia que representa a construtora Porto Ladeira da Barra Empreendimento, responsável pelo edifício La Vue, junto ao Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). A empresa nomeou como seus representantes os advogados Jayme Vieira Lima Filho, primo de Lúcio e Geddel, e sócio do ministro no restaurante Al Mare, em Salvador. O outro advogado da empresa é Igor Andrade Costa.

A primeira vice-Presidência da Câmara ganhou importância porque passou a ocupar, com mais frequência, o comando político e administrativo da Casa depois que este cargo passou a ser o segundo na linha sucessória da Presidência da República. Com o impeachment da presidente Dilma Rousseff, o ocupante do posto tem a prerrogativa de substituir o presidente Michel Temer durante suas viagens internacionais.

Antes de confirmar sua candidatura à segunda vice-Presidência da Câmara, o deputado Lúcio Vieira Lima também terá que vencer a disputa interna com os colegas de bancada José Prianti (PA) e Carlos Marun (MS), que também fazem campanha entre os colegas para o mesmo posto.

A disputa pode ser judicializada: o atual presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), quer ser reconduzido ao posto, mas o chamado centrão, grupo de deputados de mais de dez partidos, cita a proibição de que um presidente concorra à reeleição na mesma legislatura e já prometeu levar o caso à Justiça. A questão deve ser levada ao Supremo Tribunal Federal, como este site antecipou no último dia 9.

Leia mais:
Reeleição de Rodrigo Maia será contestada na Justiça

 

Mais sobre crise na base

Mais sobre eleição da Mesa

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!