Infográfico: entenda o caso da TV Caburaí

Nos anos 90, senador Romero Jucá foi sócio de empresa que alugava o sinal da emissora. Hoje, seu filho é o dono da empresa que comanda a TV

Apesar de o lobista Geraldo Magela Fernandes da Rocha, em 2003, ter pedido para deixar a Uyrapuru, a saída oficial da empresa – uma das produtoras que alugou o sinal da TV Caburaí – só aconteceu de fato 2009. Segundo ele, isso lhe causou prejuízos. A empresa passou às mãos de Rodrigo Jucá, filho do senador. Mas depois voltou para o lobista, que entendeu que essa era a melhor medida para ter seu nome limpo. As dívidas deixadas no nome do lobista e de sua filha, porém, foram assumidas pelos Jucá. Há um parcelamento dos débitos em curso.

Paralelamente, como mostrou o Congresso em Foco, a própria Fundação Roraima, formal proprietária da emissora, repassou a TV à Buritis Comunicações, pertencente a Rodrigo Jucá.

Nos anos 90, Jucá foi sócio de outra produtora que alugava o sinal da emissora, a TV Caburaí Ltda.. Mas deixou a empreitada, o que, segundo seu advogado, só ocorreu após o parlamentar pleitear isso na Justiça.

Fontes: Diário Oficial da União, Junta Comercial de Pernambuco, Receita Federal, senador Romero Jucá e Geraldo Magela Rocha, advogado Émerson Luís Delgado (Arte: Felipe Costa/CF)

STF reabre inquérito sobre TV da família Jucá

Denúncia e documentos não comprovam crimes, diz advogado

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!