Esposa do senador Telmário Mota se entrega à PF

Suzete Macedo de Oliveira era considerada foragida há cinco dias. Ela foi condenada em segunda instância a mais de sete anos de prisão no caso conhecido como Escândalo dos Gafanhotos

A ex-deputada estadual Suzete Macedo de Oliveira, esposa do senador Telmário Mota (PDT-RR), entregou-se à Polícia Federal no final da manhã desta quarta-feira (25), em Boa Vista. Ela era considerada foragida da Justiça há cinco dias. A médica foi condenada em segunda instância a mais de sete anos de prisão no caso conhecido como Escândalo dos Gafanhotos, que investigou esquema que desviou mais de R$ 300 milhões dos cofres estaduais, de acordo com a denúncia. Ao se entregar à polícia, Suzete estava acompanhada do marido, Telmário.

A ex-deputada permanecerá na sede da PF em Boa Vista. O senador declarou que a prisão de sua esposa foi "política" e não "jurídica", e acrescentou que ela só se entregou hoje porque sua defesa entendeu que o pedido de prisão era arbitrário. Porém, os advogados avaliaram que seria melhor Suzete se apresentar e esperar a resposta dos habeas corpus impetrados. Telmário acrescentou que não sabia onde a esposa estava durante o período em que foi considerada foragida.

Ontem (24) em Boa Vista o ex-governador Neudo Campos, marido da atual governadora, Suely Campos (PP), também se entregou aos policiais. Ele foi condenado a dez anos e oito meses pelo mesmo caso na última quinta-feira (19), e também estava foragido.

De acordo com as investigações da Operação Praga no Egito, deflagrada em 2003, o esquema conhecido como Escândalo dos Gafanhotos funcionava por meio do cadastramento de funcionários fantasmas (gafanhotos) na folha de pagamento do governo de Roraima, em troca de pagamentos irrisórios. Os salários dos "gafanhotos" eram retirados e iam para deputados estaduais e outras autoridades em troca de apoio político.

Mais sobre Legislativo em crise

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!