Empresa holandesa é condenada a pagar R$ 1 bilhão à Petrobras

SBM foi acusada de pagar propina no valor de US$ 139 milhões (R$ 542 milhões). Companhia havia sido condenada na Holanda em 2014

A Controladoria Geral da União (CGU) determinou que a empresa holandesa SBM terá que pagar R$ 1 bilhão à Petrobras, segundo reportagem de O Globo. A decisão foi dada por meio de um acordo de leniência, onde o infrator que confessar o crime se dispõe a cooperar com as investigações por uma redução da pena à ordem econômica.

A companhia europeia é acusada de repassar US$ 139 milhões (R$ 542 milhões) em propina em troca de contratos com a estatal brasileira. O caso está sendo investigado pelo Ministério Público Federal no Rio de Janeiro.

Na semana passada, o ministro-chefe da CGU, Valdir Simão, confirmou que as negociações para assinatura do acordo estão em fase avançada e serão concluídas nos próximos dias.

Segundo a publicação, o acerto prevê o pagamento de 65% do valor da indenização em dinheiro diretamente à Petrobras. O restante será pago na forma de prestação de serviços à estatal. Em troca, a SBM quer o direito de disputar novamente licitações da companhia brasileira. Para isso, deve se comprometer ao novo sistema de “política de integridade” da estatal, que prevê mais transparência nas negociações e a possibilidade de responsabilizar também os dirigentes das empresas que cometerem irregularidades durante os contratos.

Em 2014, a empresa dos Países Baixos, que opera no setor de leasing de plataformas de petróleo, pagou US$ 240 milhões (R$ 936 milhões) ao governo holandês em um acordo que livrou a firma de processos em seu país por corrupção e suspendeu investigações nos Estados Unidos.

Mais sobre Operação Lava Jato

Mais sobre Petrobras

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!