Deputado agia em nome de Renan para negociar propinas, diz Costa

Segundo ex-diretor da Petrobras, Aníbal Gomes se encontrava com empreiteiros para negociar propinas provenientes de contratos com a Petrobras. Em troca, Renan dava sustentação política a Costa na diretoria da estatal

O ex-diretor de Abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa, afirmou em depoimento de delação premiada desta segunda-feira (14) que o deputado federal Aníbal Gomes (PMDB-CE) era emissário do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), que, por sua vez, dava sustentação política a Costa para que continuasse na diretoria da estatal. Segundo o delator, Gomes participou de reuniões com empreiteiros para negociar propinas provenientes de contratos com a Petrobras.

O ex-diretor contou que Renan não tratava diretamente com as empreiteiras os valores dos pagamentos. Segundo o delator, ele enviava o deputado para os encontros.  “O senador Renan Calheiros nunca participou de nenhuma reunião com empreiteiros. O Aníbal Gomes, sim”, afirmou.

Renan negou qualquer relação com o ex-diretor. Segundo ele, suas relações com todas as empresas públicas e seus diretores nunca ultrapassaram os limites institucionais. Ele ainda disse que “jamais autorizou o deputado Aníbal Gomes ou qualquer outra pessoa a falar em seu nome.”

“Digno de registro também é a contradição, já que nos depoimentos anteriores o delator sempre negou ter tratado de projetos e valores com o Senador Renan Calheiros”, disse por meio de nota.

Atualmente, Renan responde a três inquéritos no STF relacionados à Operação Lava Jato. Em dois deles é investigado junto de Aníbal Gomes por lavagem de dinheiro e corrupção passiva.

Mais informações sobre Operação Lava Jato

Continuar lendo