Conselho de Ética: votação sobre cassação de Cunha é adiada novamente

Sessão do colegiado estava prevista para esta quarta-feira (8). Presidente ainda não definiu data para análise do relatório de Marcos Rogério, que pede perda de mandato do peemedebista

O presidente do Conselho de Ética, José Carlos Araújo (PR-BA), anunciou há pouco o cancelamento da reunião do colegiado marcada para 14h desta quarta-feira (8). O deputado tomou a decisão após parlamentares da oposição e da base aliada ao presidente interino Michel Temer fecharem acordo sobre as votações do segundo turno da Desvinculação de Receitas da União (DRU), consenso alcançado durante a sessão plenária desta tarde. Prevista para ser analisada hoje (terça, 7), a matéria foi transferida para a ordem do dia de amanhã.

O 2º vice-presidente da Câmara, deputado Giacobo (PR-PR), havia garantido que a sessão do plenário, marcada para a manhã desta quarta-feira, não passaria das 14h. O intuito era garantir o funcionamento do conselho, que votaria o parecer a favor da cassação do presidente afastado, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Entretanto, com a expectativa de prolongamento dos debates sobre a DRU, a sessão do colegiado seria obstruída pela pauta de votação da Casa.

Durante a sessão desta terça-feira, parlamentares votaram o pedido de quebra do interstício de cinco sessões para a votação, em segundo turno, da proposta de emenda à Constituição (PEC 4/15) que prorroga a DRU até 2023, já que o Regimento Interno da Casa prevê o intervalo de cinco sessões do plenário entre o primeiro e o segundo turnos.

Na manhã desta quarta-feira (8), deputados também podem votar em sessão extraordinária o pedido de regime de urgência do projeto de lei complementar (PLC 268/16), do Senado, que cria novas regras para escolha e atuação de diretores-executivos e conselheiros de fundos fechados de previdência complementar vinculados a entes públicos e suas empresas, fundações ou autarquias.

Araújo ainda não divulgou nova data para a votação do relatório de Marcos Rogério (DEM-RO), que pede a cassação de Eduardo Cunha, primeiro e único réu da Operação Lava Jato com foro privilegiado até o momento.

 

Mais sobre Conselho de Ética

Mais sobre Legislativo em crise

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!