Conselho arquiva processo contra deputado do Ceará

Por unanimidade, deputados acompanharam parecer do relator do caso pelo arquivamento. Eudes Xavier era acusado pelo PSB de ter feito acusações levianas contra Cid Gomes

O Conselho de Ética da Câmara arquivou nesta quarta-feira (12), por unanimidade, a investigação preliminar contra o deputado Eudes Xavier (PT-CE). Ele era acusado pelo PSB de quebra de decoro parlamentar por conta de acusações feitas contra o governador do Ceará, Cid Gomes (PSDB). Em abril, durante discurso na Câmara, o petista pediu a investigação de Cid e do seu irmão Ciro Gomes por suposta espionagem a um dos principais opositores da família no Estado, o ex-prefeito de Maracanaú, Roberto Pessoa (PR).

Na acusação, o PSB argumentou que as acusações são inverídicas, baseadas em e-mails falsos e motivadas pelo fato de Xavier ser adversário político do governador do Ceará. Na defesa prévia, o petista disse que repassou as denúncias aos órgãos responsáveis - Polícia Federal e Ministério Público Federal - e que atuou dentro do limite da imunidade prevista ao parlamentar.

Relator do caso, o deputado José Carlos Araújo (PSD-BA) acatou os argumentos de Xavier e determinou o arquivamento. Ele foi seguido por os outros integrantes do Conselho de Ética.  "Acho que neste país todo mundo é passível de ser investigado e, se não for averiguada, a veracidade que use todo o regimento. Estou profundamente agradecido ao Conselho de Ética pela decisão unanime", afirmou o petista.

Na mesma sessão, estava prevista a análise pelos deputados do caso envolvendo Devanir Ribeiro (PT-SP). No entanto, com o início da ordem do dia, a apresentação do parecer preliminar e a votação pelos deputados acabou adiada para a próxima semana. O petista é acusado pelo DEM de ter se dirigido, em plenário, de maneira imprópria e desrespeitosa ao deputado Onyx Lorenzoni (DEM-RS).

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!