Brancos, nulos e abstenções “venceram” a eleição em dez capitais

Total de brancos, nulos e abstenções superou a votação do primeiro ou do segundo colocado em 21 das 26 capitais estaduais em todo o país

 

Em dez das 26 capitais estaduais brasileiras a soma de eleitores que não votou em ninguém superou o primeiro colocado na disputa pela prefeitura. O número de eleitores que escolheram branco, nulo ou não compareceram à urna foi maior do que a quantidade de votos do segundo colocado na corrida eleitoral em outras onze capitais.

Os votos inválidos ou as ausências foram os grandes vencedores da disputa eleitoral deste ano. Em levantamento preliminar, estima-se que 10,23% dos eleitores anularam o voto e outros 3,48% votaram em branco. Só nas capitais, quase 10 milhões de eleitores não votaram em nenhum candidato, ou sequer compareceram às urnas.

Reprodução/UOL
No Rio de Janeiro e em Belo Horizonte, a soma de votos nulos, brancos e abstenções superou os votos obtidos pelos dois primeiros colocados, juntos. O índice dos que não compareceram para votar, votaram em branco ou anularam o voto chegou a 43,12% na capital mineira neste domingo (2). No Rio, 42,5% não registraram o voto. Já em São Paulo (SP), Porto Velho (RO), Porto Alegre (RS), Curitiba (PR), Belém (PA), Campo Grande (MS) Aracaju (SE) e Cuiabá (MT), a soma reuniu mais votos que os primeiros colocados na disputa.

Na capital paulista, por exemplo, os votos inválidos e as ausências somaram 3.096.304. Eleito em primeiro turno, o tucano João Dória registrou 3.085.187 votos - cerca de 11 mil a menos.

As abstenções, os nulos e os brancos ainda superaram o segundo colocado em outras 11 capitais: Florianópolis (SC), Goiânia (GO), Palmas (TO), Maceió (AL), Recife (PE), Natal (RN), São Luis (MA), Fortaleza (CE), Macapá (AP), Boa Vista (RO), e Salvador (BA).

Confira aqui os resultados das eleições de 2016, cidade por cidade

Mais sobre eleições

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!