Após condução coercitiva, oposição quer ouvir Mantega na CPI do Carf

Líder do PPS na Câmara, deputado Rubens Bueno (PR) pede a convocação imediata do ex-ministro da Fazenda para depor à CPI que apura fraudes no Conselho Administrativo de Recursos Fiscais

Após a condução coercitiva do ex-ministro da Fazenda, Guido Mantega, nesta segunda-feira (9) na operação Zelotes, o líder do PPS na Câmara, deputado Rubens Bueno (PR), disse que vai pedir urgência no comparecimento de Mantega à CPI que apura fraudes no Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf).

Mantega foi levado pela Polícia Federal para depor coercitivamente na 7ª fase da Zelotes, deflagrada nesta segunda-feira. Segundo os investigadores, o ex-ministro foi citado por Victor Sandri, dono da empresa Cimento Penha, suspeita de comprar decisões do Carf. No episódio, a empresa conseguiu reverter multas no valor de R$ 106 milhões em uma votação no Conselho.

O requerimento de convocação de Mantega na CPI do Carf já foi aprovado, mas ainda falta marcar a data para a audiência. Um dos autores do pedido, Bueno informou que, na próxima reunião da comissão, vai pedir que Mantega venha à Câmara o mais breve possível. "Essa condução coercitiva da Operação Zelotes mostra que Mantega tem muita colaborar com a CPI, que apura a ação dessa organização criminosa que agia no Conselho para venda de sentenças e para fraudar o Fisco”, afirmou o líder do PPS.

Nesta etapa da Zelotes também foi alvo de condução coercitiva o ex-conselheiro do Carf José Ricardo da Silva. Ele também é alvo de requerimento de convocação na CPI. Silva já foi condenado por participação nas fraudes no Conselho e deu depoimento à PF nesta segunda-feira no presídio da Papuda, em Brasília.

Mais sobre a Operação Zelotes

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!