Antes de ser preso, emissário de Aécio levou R$ 480 mil para casa da sogra

Mendherson Lima carregou o dinheiro na noite em que soube das delações dos executivos da JBS. Ele afirmou ter se “assustado” com a divulgação dos flagrantes

 

O assessor parlamentar Mendherson Souza Lima admitiu ter se “assustado” ao saber das delações da JBS e que escondeu R$ 480 mil reais na casa da sogra. Ao ser preso na Operação Patmos, desdobramento da Operação Lava Jato em 18 de maio, Lima disse à Polícia Federal (PF) que escondeu duas sacolas com o dinheiro na casa de sua sogra em Nova Lima (MG).

Leia mais:
Polícia Federal apreende papeis com anotações “cx 2” na casa de Aécio Neves
Joesley revela propina de R$ 60 milhões a Aécio e compra de partidos em 2014, diz O Globo

No dia anterior à operação, o conteúdo das delações foi tornado público pelo colunista do jornal O Globo Lauro Jardim. Mendherson Lima tirou o dinheiro de sua casa, em Belo Horizonte, em duas sacolas, e levou para a casa de sua sogra, localizada em Nova Lima. A sogra não sabia qual era o conteúdo dos pacotes.

Mendherson é suspeito de ser o responsável por transportar dinheiro pedido por Aécio à JBS. Ele também é assessor parlamentar do correligionário de Aécio, o senador Zezé Perrella (PSDB-MG).

O relatório da PF conta que as sacolas foram encontradas na casa de Azelina Rosa Ribeiro, em pacotes de R$ 100, escondidas em um dos quartos. O dinheiro, segundo Lima, foi entregue a ele em São Paulo.

Leia mais sobre Aécio Neves

Leia mais sobre Zezé Perrella

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!