Advogada de acusação pede impugnação de testemunhas pró-Dilma

Autora do pedido de impeachment rompe acordo e requer a suspensão dos depoimentos de três testemunhas arroladas pela defesa da presidente que está em julgamento

A advogada Janaina Pachoal, uma das autoras do pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff, decidiu pedir a impugnação de todas as testemunhas arroladas pela defesa da presidente afastada. A decisão final sobre a função das pessoas indicadas pelo grupo pró-Dilma será tomada pelo presidente da sessão, ministro Ricardo Lewandowiski.

A solicitação da advogada rompe o acordo fechado entre líderes do grupo de senadores que defende o impeachment e o advogado de defesa de Dilma, José Eduardo Cardozo. No início da tarde o defensor da presidente afastada pediu a transformação do depoimento do economista Luiz Gonzaga Beluzzo como testemunha em informante. “O objetivo foi para acalmar os ânimos no plenário. Mas parece que o acordo foi rompido”, comentou Cardozo.

O grupo pró-impeachment já tinha solicitado a Lewandowiski a impugnação da testemunha Ester Dweck. A suspensão do depoimento da ex-secretária de Orçamento Federal da gestão Dilma foi acatada com o argumento que ela tinha sido nomeada assessora da senadora Gleisi Hoffmann na Comissão de Assuntos Econômicos.

Se o pedido de Janaina Paschoal for acatado por Lewandowiski, serão suspensos os depoimentos do ex-ministro da Fazenda Nelson Bartbosa,  do consultor jurídico Geraldo Prado, professor da UFRJ, e do ex-secretário executivo do ministério da Educação Luiz Cláudio Costa.

Mais sobre o impeachment

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!