Justiça Eleitoral proíbe carro de som com propagandas contrárias ao PT

Uma decisão do Tribunal Regional Eleitoral de Goiás (TRE-GO) proibiu um carro de som de circular em cidades do estado com propagandas contrárias ao Partido dos Trabalhadores (PT). Na decisão, assinada nesta terça-feira (1º), o juíz eleitoral Thiago Soares Castelliano Lucena de Castro alega que o ato era "fato ofensivo à reputação da agremiação política, com finalidade de propaganda eleitoral."

Vídeos que circulam pela internet mostram um carro de som passando por variadas localidades da periferia de Jataí, no sul do estado, veiculando informações distorcidas sobre os governos presidenciais do PT, entre 2003 e 2016.

Veja a íntegra da decisão do TRE de Goiás:

"Você sabia que nos governos Dilma e Lula, as universidade não tinham nem papel higiênico? O povo está pagando a conta dos governos Lula e Dilma", ouve-se em uma das mensagens veiculadas. A conta do prejuízo, anunciado de cerca de R$ 10 trilhões [o que é irreal, já que equivaleria a mais de um ano de PIB do Brasil] teria como fonte o Jornal Cidade Online, conhecido por ecoar fake news e servir de base de apoio ao bolsonarismo.

"Você sabia que durante a pandemia os governadores e prefeitos ligados ao PT foram os maiores responsáveis pelo desvio de dinheiro e superfaturamento nas compras de respiradores em remédios?", questionava o locutor em outro vídeo ajuntado ao processo. "Você sabia que foi nos governos do PT que tivemos os maiores cortes de verbas para a educação", segue.

Questionado pela Justiça Eleitoral, o motorista do carro não disse quem financiou os carros.

A decisão ordena a imediata interrupção da propaganda, proibindo qualquer outra veiculação do tipo pelas ruas da cidade."Há indícios de crime eleitoral", escreveu o juiz, que continuou: "É proibido o uso de carros de som e minitrios na propaganda eleitoral, desassociada de carreatas, caminhadas, passeatas, reuniões e comícios"


> PM que prendeu professor por “Bolsonaro genocida” é afastado da PM e será investigado

Continuar lendo