Pesquisa CNT/MDA mostra vantagem de 13 pontos entre Bolsonaro e Haddad

Pesquisa da Confederação Nacional do Transporte (CNT) divulgada há pouco mostra que o candidato do PSL, Jair Bolsonaro, tem 56,8% das intenções de voto na véspera da votação de segundo turno, contra 43,2% de votos válidos em Fernando Haddad (PT). O levantamento foi realizado pelo Instituto MDA entre ontem (sexta, 26) e hoje.

Considerando-se os votos totais (incluídos brancos, nulos e "não sabem"), Bolsonaro tem 48,5% das citações, enquanto o petista tem 37,0%. Somaram 10,3% os que disseram pretender anular o voto ou votar em branco, e outros 4,2% se disseram ainda indecisos.

<< Leia a íntegra do relatório-síntese sobre a pesquisa

O trabalho também mediu o nível de rejeição aos candidatos. O petista superou Bolsonaro nesse critério negativo: 51,2% dos entrevistados disseram que não votariam em Haddad de jeito algum. Já Bolsonaro tem rejeição de 42,7%.

O levantamento também mediu o limite de voto nos dois candidatos, além de mostrar os meios de comunicação por meio dos quais os entrevistados acompanharam o horário eleitoral ou receberam informações sobre as eleições, em geral, ou sobre candidaturas, individualmente.

Foram entrevistadas 2.002 pessoas em 137 municípios de 25 estados brasileiros, nas cinco regiões. A margem de erro de 2,2 pontos percentuais, para mais ou para menos.

O nível de confiança da pesquisa, ou seja, a possibilidade de que ela retrate a realidade, é de 95%. O trabalho foi registrado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com o código de protocolo BR-06933/2018.

Veja mais detalhes da pesquisa CNT/MDA:

LIMITE DE VOTO – PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA

FERNANDO HADDAD: é o único em quem votaria 32,2%; é um candidato em quem poderia votar 14,3%; não votaria nele de jeito nenhum 51,2%; não o conhece/não sabe quem é/nunca ouviu falar 1,0%.

JAIR BOLSONARO: é o único em quem votaria 41,4%; é um candidato em quem poderia votar 14,0%; não votaria nele de jeito nenhum 42,7%; não o conhece/não sabe quem é/nunca ouviu falar 0,7%.

HORÁRIO ELEITORAL GRATUITO

Os meios em que os eleitores viram ou ouviram a propaganda eleitoral para presidente foram: televisão (83,2%), internet (50,8%), WhatsApp (26,9%), rádio (25,3%).

Os meios em que os entrevistados mais receberam ou procuraram informações sobre a eleição e os candidatos à Presidência foram: televisão (55,9%), internet (35,2%), WhatsApp (4,6%) e rádio (3,1%).

 

<< Nossa opinião: Bolsonaro é o pior que nos pode acontecer

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!