Os vídeos que marcaram dez primeiros dias de campanha após registro no TSE

Encerrado o prazo para registro de candidaturas no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), no último dia 15, 13 partidos deram a largada na corrida presidencial oficialmente. Em meio à interrogação sobre se o líder nas pesquisas, o ex-presidente Lula (PT), poderá concorrer – ou ao menos se, uma vez barrado na Lei da Ficha Limpa, conseguirá transferir muitos votos para seu vice, Fernando Haddad –, os presidenciáveis têm se lançado em campanha nos quatro cantos do país, participado de debates na televisão, interagido nas redes sociais... e fornecendo, mesmo involuntariamente, registros já antológicos no rol de grandes momentos eleitorais.

Um dos que não podem ficar de fora tem ganhado as redes sociais neste fim de semana (*leia nota de atualização logo abaixo). No episódio, o candidato do PSDB, Geraldo Alckmin, aparece de chapéu em uma propriedade rural. O ex-governador de São Paulo fala da "criação de ovelhas e carneiros da Dona Marluce". "Um trabalho muito bonito. Um exemplo, né?", arriscou o tucano. Fora do vídeo, ouve-se a voz de uma mulher dizer: "Não. Meu voto é do Lula"! São só oito segundos...

*Nota de atualização (30/08/2018, às 15h): a voz da mulher, de quem ainda não se sabe a identidade, foi sobreposta ao vídeo originalmente veiculado no Instagram de Alckmin em 23 de agosto. Ou seja, trata-se de uma adulteração digital de áudio. Na postagem, o tucano escreve: "O sertanejo brasileiro sofre muito! Com a seca, com a falta de alimentos, com as dificuldades para criar animais. Conheci hoje a Fazenda Terranova, no meio da caatinga, da batalhadora Marluce Rodrigues. Ela é um exemplo para todo o Brasil"! No vídeo original, só se ouve a voz de Alckmin.

 

 

Outro vídeo que movimentou as redes sociais foi protagonizado pelo candidato do PSL, deputado Jair Bolsonaro, que tem apostado no discurso do armamento para a população para conquistas votos – ou pelo menos manter a fidelidade dos que defendem ou são simpáticos à ideia. No último domingo (19), em Goiânia, o ex-capitão do Exército cruzou a perigosa fronteira dos direitos da criança ao pegar ao colo uma menina de poucos anos de idade e, em cima de um carro de campanha, ensiná-la a fazer o gesto de tiros de revólver com uma das mãos – ele que, como o Congresso em Foco mostrou na quinta-feira (23), afirmou que seus filhos atiram "com munição de verdade" desde os cinco anos, algo que, por lei, é punível com prisão.

Veja:

 

Bolsonaro também é protagonista de outro momento já eternizado entre os grandes embates entre adversários políticos. Em debate na RedeTV! em 17 de agosto, o defensor do militarismo defendia a liberação do posse de armas no Brasil quando Marina, além de se opôr à possibilidade, redirecionou sua fala para a discriminação das mulheres no mercado de trabalho – que, segundo Bolsonaro, é algo que não acontece no Brasil.

Marina, inclusive, fez menção ao episódio do vídeo acima. "Você, um dia desse, pegou a mãozinha de uma criança e a ensinou como se faz para atirar. Você sabe o que a Bíblia diz sobre ensinar uma criança?"

Assista:

 

Cabe também lembrar que, em 10 de agosto, no primeiro debate entre presidenciáveis na TV aberta em 2018, a TV Bandeirantes recebeu oito presidenciáveis em um de seus estúdios. Dois dos postulantes com menor índice em pesquisas de intenção de voto, Henrique Meirelles (MDB) e Alvaro Dias (Podemos) também estiveram no centro de um momento que vale registro. Ex-ministro da Fazenda de Michel Temer, também seu correligionário, Meirelles pediu que o senador paranaense discorresse sobre o "fracasso do governo anterior".

Marina deixa Bolsonaro constrangido durante debate, diz cientista político

"O senhor, que esteve lá, é que deveria ter a explicação, não é? Passou por lá...", gracejou Alvaro, caprichando na ironia e provocando reação na plateia.

Confira:

 

União das Repúblicas Socialistas da América Latina fake

Vale abrir outra exceção para lembrar um momento único deste início de corrida presidencial. Também foi há mais de dez dias, mas não pode ficar de fora a atuação do deputado Cabo Daciolo, candidato do Patriota à Presidência da República, naquele debate da TV Bandeirantes, no final da noite de uma quinta-feira (10). Bombeiro e cristão, Daciolo tirou do marasmo um programa que, a medir pela interação dos internautas em redes como Twitter e Facebook, pecou pelo formato e não gerou grandes discussões entre os debatedores.

Com discurso religioso e a todo momento falando "em glória e honra de nosso senhor Jesus Cristo", Daciolo surpreendeu Ciro Gomes, o candidato do PDT, e disparou, para espanto do interlocutor –  e interrogações de todos: "O senhor pode falar aqui para a população brasileira sobre o 'Plano Ursal'. O que o senhor tem a dizer sobre a 'União das Repúblicas Socialistas Latinoamericanas? Tem algo a dizer para a nação brasileira?", quis saber Daciolo, em menção à "União das Repúblicas Socialistas da América Latina", uma entidade fictícia.

Assista:

 

 

Menção a “Ursal” por Daciolo em debate gera explosão de memes nas redes

Lei pune com prisão prática que Bolsonaro admite em campanha

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!