Lei pune com prisão prática que Bolsonaro admite em campanha

Em agenda de campanha em São Paulo, o deputado e presidenciável do PSL, Jair Bolsonaro, afirmou que seus filhos atiram “com munição de verdade” desde os cinco anos, o que, por lei, é punível com prisão.

De acordo com reportagem do portal UOL, o deputado cumpria agenda de campanha no interior de São Paulo e fez a afirmação em resposta a um jornalista.

O artigo 242 do Estatuto da Criança e do Adolescente classifica como crime "vender, fornecer ainda que gratuitamente ou entregar, de qualquer forma, a criança ou adolescente, arma, munição ou explosivo". O descumprimento da lei é punível com três a seis anos de reclusão.

Bolsonaro visitava sua cidade natal, Glicério, em São Paulo, quando respondeu a um jornalista que seus filhos atiraram com munição “real” aos cinco anos de idade. “Meus filhos todos atiraram com cinco anos de idade, real, não é de ficção nem de espoleta não, tá ok?", afirmou.

Horas depois, já em Araçatuba, o candidato se irritou ao ser questionado pela reportagem do UOL sobre a lei. Irritado, Bolsonaro disse que o ECA deveria “ser rasgado e jogado na latrina”.

“Sobre o fato de a prática ser proibida pela lei, Bolsonaro disse defender ‘que o pai ensine ao filho o que é uma arma de fogo e para que serve’. ‘Porque nas comunidades tem moleques de oito anos de idade usando fuzil maior do que ele’”, relata a reportagem do site.

Leia a íntegra da reportagem do UOL

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!