Renato Feder diz ter recusado convite de Bolsonaro para o MEC

Em meio a ataques das alas olavista e evangélica do governo de Jair Bolsonaro, o secretário de Educação do Paraná, Renato Feder, disse ter declinado o convite do presidente Jair Bolsonaro para assumir o Ministério da Educação.

A manifestação veio após seu nome, que chegou a ser dado como certo na manhã de sexta-feira (3), começar a sofre fortes resistências dentro do governo. Com essas pressões, alguns interlocutores chegaram a dizer que o nome de Feder teria sido descartado por Bolsonaro. Entretanto, não houve manifestação formal do governo ou de aliados sobre o tema.

> Renato Feder responde aos ataques que o afastaram do Ministério da Educação

"Recebi na noite da última quinta-feira uma ligação do presidente Jair Bolsonaro me convidando para ser ministro da Educação. Fiquei muito honrado com o convite, que coroa o bom trabalho feito por 90 mil profissionais da Educação do Paraná. Agradeço ao presidente Jair Bolsonaro, por quem tenho grande apreço, mas declino do convite recebido. Sigo com o projeto no Paraná, desejo sorte ao presidente e uma boa gestão no Ministério da Educação", escreveu em seu Facebook.

Fontes próximas ao governador Ratinho Junior (PSD) disseram ao Congresso em Foco que, sem a nomeação para o MEC, Feder segue normalmente no comando da Secretaria de Educação do Estado.

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!