Governo reduz em R$ 1,7 bilhão economia de reforma da Previdência

O secretário especial da reforma da Previdência, Rogério Marinho, declarou nesta quinta-feira (18) que é de R$ 933,5 bilhões a economia em 10 anos da mudança previdenciária aprovada em primeiro turno na Câmara dos Deputados.

O Ministério da Economia estimava uma receita de R$ 1,1 trilhão da reforma da Previdência antes das modificações pelos deputados.

De acordo com Marinho, a economia das despesas  da reforma como está hoje seria R$ 914,3 bilhões e o CSLL (Contribuição Social de Lucros e Dividendos) traria mais R$ 19,2 bilhões.

"Estamos apresentando ao país a maior, mais abrangente, mais ambiciosa e na minha opinião talvez a mais longeva reestruturação do sistema previdenciário do país desde o seu inicio, na época do Império", declarou o secretário da Receita em entrevista a imprensa.

E completou afirmando que o projeto aprovado tem ineditismo mundial:

"Sem entrar na questão do direito adquirido, por exemplo, o que aconteceu em Portugal e na Grécia, se diminuiu o valor de pensões e aposentarias, essa é a que tem maior impacto paramétrico que se tem noticia no mundo".

Para ser aprovada a reforma da Previdência precisa ser votada em segundo turno na Câmara, analisada pela CCJ (Comissão e Constituição de Justiça) do Senado e votada em dois turnos pelos senadores.

 

 

 

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!