Governo adia anúncio do saque do FGTS para próxima semana

O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, adiou a apresentação da medida provisória que trata do saque de Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e do PIS/Pasep. Segundo ele, os “técnicos estão fazendo ajustes”, motivo pelo qual a proposta será anunciada na próxima semana. O governo estuda ações para garantir que o setor de construção civil não seja afetado, mantendo o financiamento imobiliário. Onyx afirmou, ainda, que não está previsto contingenciamento (bloqueio) de gastos.

“Os técnicos estão fazendo ajustes e nós tomamos a decisão que na semana próxima vai ser feita a apresentação da medida provisória que trata da questão do fundo de garantia e do PIS/PASEP”, disse Onyx, que prevê a apresentação entre quarta-feira e quinta-feira. “Vai depender da agenda do presidente, mas será apresentado”, disse.

O Ministério da Economia estuda a liberação de até 35% dos recursos das contas ativas do fundo, mas os detalhes da medida não foram ainda revelados. Além disso, o governo avalia fixar um teto de R$ 3 mil na liberação do saque das contas ativas do FGTS e analisa a fixação de um percentual de 15% sobre o saldo da conta vinculada, com o intuito de evitar que a medida beneficie quem não precisa.

Outra possibilidade estudada acaba com saque automático do FGTS nas demissões sem justa causa. A ideia é permitir o saque controlado, uma vez por ano, na data de aniversário dos cotistas.

>> Para oposição, liberar FGTS é falta de plano para economia

>> Economia é o maior legado de Bolsonaro, dizem aliados

>> Reforma da Previdência: veja como ficou o texto   

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!