Datafolha: 88% defendem demissão dos “maus servidores”

Apesar de sofrer resistência no Congresso, a reforma administrativa que está sendo desenhada pelo governo terá o apoio de boa parte da população. Pelo menos é isso que aponta uma pesquisa encomendada ao Datafolha por fundações ligadas à iniciativa privada. O estudo, publicado pela Folha de S.Paulo neste domingo (19), explica que 88% dos entrevistados acreditam que servidores de mau desempenho devem ser demitidos.

> Governo não enviou, mas reforma administrativa já começou

A avaliação do trabalho dos servidores públicos é uma das principais propostas da reforma administrativa do ministro da Economia, Paulo Guedes. E, segundo o Datafolha, conta com o apoio de 91% dos entrevistados na pesquisa que foi feita a pedido da Aliança - instituição formada pela Fundação Lemann, pela Fundação Brava, pelo Instituto Humanize e pela República.org. Outros 88% ainda dizem que, se constatar um trabalho ruim, essa avaliação deve provocar a demissão dos mais servidores.

A proposta, porém, pode acabar com uma das premissas do funcionalismo público atual: a estabilidade dos servidores. Por isso, está sendo questionada pelo serviço público e também por parte dos parlamentares que terão que aprovar a reforma administrativa de Guedes.

A pesquisa do Datafolha reflete essa problemática, pois o índice dos que apoiam a demissão dos maus servidores cai quando se fala na estabilidade. Apenas 39% dos entrevistados disseram que essa é uma questão que pode ser revista, enquanto 58% avaliaram que os servidores precisam da garantia da estabilidade para fazer um bom trabalho. Segundo os servidores, a estabilidade está relacionada a um bom desempenho porque garante o caráter técnico do funcionalismo, que, com isso, não pode ser alterado de acordo com a linha ideológica do governo em questão.

A pesquisa do Datafolha foi realizada em maio do ano passado e ouviu 2.086 pessoas em todo o Brasil. A margem de erro é de dois pontos percentuais.

> Próximas fases da reforma administrativa serão enviadas a partir de março

> Reforma administrativa terá mais oposição que a da Previdência, preveem deputados

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!