Bolsonaro, Maia e Davi defendem teto de gastos e responsabilidade fiscal

Em um pronunciamento feito no começo da noite desta quarta-feira (12), o presidente Jair Bolsonaro e os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) e do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), reafirmaram o compromisso com o respeito ao teto de gastos. A manifestação à imprensa aconteceu após uma reunião entre os principais líderes do Congresso e ministros do governo.

> Hoje houve debandada, diz Guedes sobre saída de dois secretários da Economia

Segundo Bolsonaro, no encontro as lideranças acordaram apoio ao respeito ao teto, às privatizações e ao encaminhamento da reforma administrativa. Bolsonaro, Maia e Alcolumbre, entretanto, não deram prazos e nem anunciaram novas ações para o trâmite das propostas.

O presidente da Câmara citou a necessidade de aprovar os gatilhos do teto de gastos e afirmou que, assim que Bolsonaro entender importante, os deputados estão prontos para receber e discutir a reforma administrativa.

“Reafirmamos nosso compromisso com o teto de gastos, com a boa qualidade do gasto público. Isso é reafirmar nosso compromisso com o futuro do país”, disse Maia.

A fala de Alcolumbre foi no mesmo sentido. O presidente do Senado disse que a reunião foi importante para nivelar a agenda de responsabilidade fiscal e destacou que o parlamento “nunca faltou ao governo e não faltará”.

O ministro Paulo Guedes, que na terça-feira (11) não escondeu a insatisfação da equipe econômica com o fato de a agenda liberal não avançar, estava presente no pronunciamento, mas não falou à imprensa.

> Após saída de secretários de Guedes, Bolsonaro defende pautas liberais

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!