Secretário de Doria é preso em desdobramento da Lava Jato

A força-tarefa da Lava Jato prendeu, nesta quinta-feira (6), o secretário estadual de Transportes Metropolitanos de São Paulo, Alexandre Baldy, por suspeita de fraudes na Saúde. Também expedidas outras cinco ordens de prisão pelo juiz federal Marcelo Bretas, responsável pela Lava Jato no Rio. Os suspeitos responderão pelos crimes de corrupção, peculato, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

>Senado retoma discussão sobre limite para juros de cartão na pandemia

O secretário foi levado à sede da Polícia Federal na capital paulista. São cumpridos 11 mandados de busca e apreensão em Petrópolis (RJ), São José do Rio Preto (SP), Goiânia e Brasília.

Filiado ao PP, Baldy foi ministro das Cidades no governo Michel Temer, secretário estadual de Indústria e Comércio e deputado federal por Goiás. A Operação Dardanários apura esquema de conluio entre empresários e agentes públicos que tinha por finalidade contratações dirigidas, segundo a Polícia Federal. De acordo com as informações iniciais, não há relação entre as acusações contra Baldy e o cargo que ele ocupa no governo de João Doria (PSDB).

Entre os presos pela operação está o pesquisador da Fiocruz Guilherme Franco Netto.

>Copom reduz Selic pela nona vez seguida. Taxa cai para 2% ao ano

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!