Abuso de autoridade: Bolsonaro pode vetar e o Parlamento derrubar, diz Maia

Erick Mota e Edson Sardinha *

O presidente da Câmara (DEM-RJ), Rodrigo Maia, afirmou nesta segunda-feira (2) que mesmo que o presidente da República, Jair Bolsonaro, vete trechos do Projeto de Lei de Abuso de Autoridade, aprovado na Câmara dos Deputados no dia 14 de agosto, o Congresso pode derrubar o veto. “É um direito do presidente da República [vetar trechos da Lei] e é um direito do parlamento manter o veto ou derrubar o veto”, afirmou Maia em coletiva no Rio de Janeiro após participar de encontro promovido pela Associação Brasileira de Relações Institucionais e Governamentais (Abrig). Durante o encontro, Maia defendeu a redução dos gastos públicos para a retomada do crescimento no país.

>Maia defende fim da estabilidade para servidores

Essa declaração veio no mesmo dia em que o presidente Jair Bolsonaro afirmou que deve vetar nove dos dez pontos sugeridos pelo ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro. “O Moro pediu dez, nove estão garantidos, vou discutir o último. Outras entidades também pediram vetos, vamos analisar”, disse ao deixar o Palácio da Alvorada na manhã desta segunda-feira, sem adiantar quais são esses pontos.

Para Rodrigo Maia, é importante manter clara a separação entre os poderes. “Eu acho que essa separação entre os poderes é importante que fique clara. Cada um tem o direito de cumprir a sua função constitucional”, afirmou o presidente da Câmara.

Na mesma ocasião, Rodrigo Maia disse que está na hora de o governo de Jair Bolsonaro olhar para pautas econômicas. “Eu acredito que o governo precisa é pensar pautas econômicas, que possam olhar de fato o desempregado, olhar o desalentado, olhar o brasileiro” disse Maia

O presidente da Câmara afirmou ainda que o presidente Bolsonaro acaba focando na polarização, sendo que o caminho, segundo o deputado, deveria ser o de mostrar o que de fato ele está fazendo pelo Brasil. “O governo acaba focalizando mais essa política da polarização, que o presidente gosta de fazer, e não mostra algo que ele possa estar fazendo. Agora, o resultado da economia pode provar que nós estamos muito distantes daquilo que se prometeu e daquilo que a sociedade espera do governo” completou.

Pesquisa publicada hoje pelo Instituto Datafolha, mostra que a reprovação do presidente Jair Bolsonaro caiu para 38%. Quando questionado sobre o assunto, o presidente comparou a pesquisa Datafolha, que o aponta com a pior popularidade entre os presidentes de primeiro mandato aos oioto meses de governo, a crença na figura do Papai Noel. “Alguém acredita no Datafolha? Você acredita em Papai Noel? Outra pergunta”, disse.

* O repórter viajou a convite da Associação Brasileira de Relações Institucionais e Governamentais (Abrig).

> Bolsonaro diz que Ministério Público comete abusos

> Fundo Eleitoral, cessão onerosa e previdência estão na pauta do Congresso

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!